domingo, 31 de agosto de 2014

A teoria da evolução de Darwin: o grande elefante branco do pensamento contemporâneo

Mais de 500 cientistas doutorados já assinaram uma declaração expressando publicamente seu ceticismo sobre a teoria contemporânea da evolução darwiniana.

"Supor que o olho possa ter sido formado pela 'seleção natural' parece, e confesso livremente, absurdo no mais alto grau possível." - Charles Darwin, 1872
A declaração Dissidência Científica do Darwinismo diz: 
"Somos céticos com relação às afirmações da capacidade da mutação aleatória e seleção natural como explicação para a complexidade da vida. Devemos incitar uma investigação cuidadosa das evidências a favor da teoria darwinista."
A lista dos 514 signatários inclui cientistas membros da prestigiosa Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos e da Rússia. Os signatários incluem 154 biólogos, a maior disciplina científica representada na lista, bem como 76 químicos e 63 físicos. Os signatários têm doutorados em ciências biológicas, física, química, matemática, medicina, ciência da computação, e disciplinas relacionadas. Muitos são professores ou pesquisadores das principais universidades e instituições de pesquisa, tais como MIT, The Smithsonian, da Universidade de Cambridge, UCLA, UC Berkeley, Princeton, Universidade da Pensilvânia, a Universidade do Estado de Ohio, da Universidade da Geórgia, e da Universidade de Washington.

Discovery Institute publicou a sua primeira lista de Dissensão Científica do Darwinismo 2001 para desafiar falsas declarações sobre a evolução darwiniana feitas na promoção da série "Evolution" da PBS. Na época, alegou-se que "virtualmente todo cientista no mundo acredita que a teoria é verdadeira."  

"Darwinistas continuam a afirmar que nenhum cientista sério duvida da teoria, mas aqui estão 500 cientistas que estão dispostos a tornar público seu ceticismo acerca da teoria", disse o Dr. John G. Oeste, diretor associado do Centro do Instituto Discovery para Ciência e Cultura. "Os esforços darwinistas para usar os tribunais, os meios de comunicação e os comitês de posse de acadêmicos para suprimir a dissidência e reprimir a discussão estão, na verdade alimentando ainda mais a dissidência e inspirando mais cientistas a pedirem para ser adicionados à lista."

De acordo com o Dr.West, foi o rápido crescimento de dissidentes científicos que incentivou o Instituto a lançar um site - www.dissentfromdarwin.org - para dar à lista um lar permanente. O site é a resposta do Instituto à demanda de informações e acesso à lista, tanto por parte do público, e por cientistas que querem adicionar o seu nome à lista.

"A teoria da evolução de Darwin é o grande elefante branco do pensamento contemporâneo", disse o Dr. David Berlinski, um dos signatários originais, um matemático e filósofo da ciência com o Centro do Instituto Discovery para Ciência e Cultura (CSC). "É grande, praticamente inútil, e um objeto de reverência supersticiosa."

Outros signatários proeminentes incluem o membro da US National Academy of Sciences, Philip Skell; Fellow Lyle Jensen para Associação Americana para o Avanço da Ciência; biólogo evolucionário e autor de livros Stanley Salthe; biólogo evolucionário da Smithsonian Institution e pesquisador do National Institutes of National Center for Biotechnology Information, Richard Von Sternberg; Editor da Rivista di Biologia / Biology Forum --a mais antiga revista de biologia ainda publicado no mundo-- Giuseppe Sermonti; e o embriologista Lev Beloussov Academia Russa de Ciências Naturais.  


Se você possui um Ph.D. em engenharia, matemática, ciência da computação, biologia, química, ou uma das outras ciências naturais, e concorda com a seguinte afirmação: "Somos céticos com relação às afirmações da capacidade da mutação aleatória e seleção natural como explicação para a complexidade da vida. Devemos incitar uma investigação cuidadosa das evidências a favor da teoria darwinista.", então por favor contate-nos via  cscinfo@discovery.org.


Assita também aos seguintes vídeos legendados, onde o Dr. Kent Hovind refuta a proposição de evolução de que a Terra tem evoluído ao longo de bilhões de anos. Neste vídeo Dr. Hovind apresenta um minucioso estudo que confirma a criação do mundo literalmente em seis dias de acordo com o livro de Gênesis. Assuntos como radio carbono, era glacial, registro geológico e fósseis são observados e analisados científicamente e comparados com a história da criação. A Idade da Terra (The age of the Earth) expõe as crenças religiosas de evolução.

 

Assita também ao vídeo Mentiras nos Livros Didáticos onde Dr. Hovind mostra como os livros didáticos das escolas públicas estão permeadas de informações fraudulentas, a fim de convencer os estudantes de que a evolução é verdade. 'Mentiras nos livros didáticos' é um 'must-see' para todos os membros de escola pública, alunos, professores, pais e diretoria estão sob a ditadura da evolução onde somente uma teoria é permitida que se estude.
  



quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Dívida Estratégica de Países e a Escravização das Nações

Trecho do documentário Zeitgeist Addendum. John Perkins, ex-agente da CIA e autor do livro "Confissões de um Assassino Econômico", fala de como funciona a tática de guerra econômica usada para subjugar nações. 

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Cúpula de 2014: Líderes Mundiais e Simbologia Egípcia

Durante a Cúpula de Segurança Nuclear de 2014, os líderes mundiais usavam bizarros pinos em formato de pirâmide em sua lapela enquanto se reuniram em torno de um olho gigante com uma pirâmide holográfica suspensa em seu centro.

Em frente a mesa em formato circular dos dirigentes, haviam desenhos muito parecidos com hieróglifos egípcios.

Curiosamente, o presidente Barack Obama foi um dos poucos líderes mundiais que não utilizou o símbolo da pirâmide.


O programa dos ‘elitistas’ começou no antigo Egito em uma sociedade chamada ‘Irmandade Secreta da Serpente’ (serpente naquela época significava iluminação e conhecimento), originalmente uma Escola de Mistérios que ensinava conhecimento espiritual e poder.

Forte evidências mostram que a "Agenda Illuminati" para o controle do planeta Terra remonta os dias do reinado da Babilônia/Suméria (aproximadamente 4000 aC) e o Egito Antigo (3100 aC) quando o plano de domino Illuminati sobre a humanidade iniciou.

Não há dúvida de que as redes Illuminati têm uma forte afinidade com o antigo período egípcio e muito de seu simbolismo pode ser rastreado até ao Egito Antigo. A pirâmide é um dos símbolos mais óbvios utilizados por eles ao longo da história, mas há muitos outros, incluindo o obelisco (que representa o deus Egípcio, o pênis de Osíris).


Os faraós egípcios foram capazes de manter seu domínio durante milênios, porque a população acredita fortemente no "direito divino de governar" que foi dado aos faraós por "deuses" e que sua "linhagem" estava diretamente ligado a esses "deuses".

Os deuses egípcios eram numerosos e cada um tinha a sua própria "história" e identidade, com alguns dos mais conhecidos sendo Horus, Ísis, Seth (ou Set), Anubis e Ra. A maioria desses deuses eram representados como metade humano e metade animal, com o réptil sendo um dos mais comuns.


 Mesmo os adornos de cabeça usados pelos faraós tinham o formato da serpente Cobra e visualmente retratavam sua ligação com os "deuses" (seus 'mestres reptilianos').


Existe obviamente, muito mais evidência disponível para ligar as redes Illuminati de volta ao Egito antigo, não deixe de pesquisar.


Segue o vídeo com a cerimônia de abertura centrada em torno de um isótopo iluminado simbólico que está sendo passado ao redor como uma tocha olímpica.