quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Alma, Corpo e Espírito (Quem somos nós?)

“ESTE é o livro das gerações de Adão. No dia em que Deus criou o homem, à semelhança de Deus o fez.” -  Gênesis 5:1
 “E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.” - Gênesis 1:27
O que significa sermos feitos à imagem e semelhança de Deus?
A bíblia nos fala que o homem tem um corpo e uma alma, e que é necessário para o homem nascer de novo espiritualmente para ver o reino de Deus (João 3:3; João 3:5). Depois da criação, Deus disse para Adão:
 “ Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dela não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás.” – Gênesis 2:17
Depois de comer do fruto do conhecimento do bem e do mal, Adão ainda viveu mais de 900 anos! Por que? Porque Adão morreu espiritualmente primeiro. O espírito é a ligação que o homem tem com Deus, Adão perdeu essa ligação por causa do pecado. A alma é a personalidade, são os pensamentos e emoções, cada pessoa tem a sua alma. O corpo é o que nos permite viver nesse mundo físico. Por ser a nossa ligação com Deus, o espírito deve prevalecer sobre a alma e o corpo, pesando cada pensamento, emoção e ação que temos ou fazemos.
E agora? Todos depois de Adão já nasciam mortos espiritualmente, como reconciliar Deus conosco, sem nos privar do direito de livre-arbítrio? Deus enviou o seu Filho, e Jesus morreu na cruz para que todo aquele que Nele cresse fosse feito Filho de Deus (João 1:12), fosse vivificado espiritualmente, literalmente nascesse de novo e ficasse reconciliado com Deus.
Psicólogos e psiquiatras  acreditam no dualismo, eles dizem que o homem é apenas corpo e alma, e aqueles que não receberam Jesus são de fato, mas a questão é que muitos problemas seriam resolvidos se as pessoas soubessem que nós fomos criados para ter um espírito.
Mas o que toda essa história de alma, corpo e espírito tem a ver com a gente ter sido criado à imagem e semelhança de Deus? Bom, eu acredito que Deus também tem uma alma, um Espírito e um corpo.
Deus tem uma alma:
Porque quem conheceu a MENTE DO SENHOR, para que possa instruí-lo? ” (1Coríntios 2:16) 
ESTAS SEIS COISAS ABORRECE O SENHOR, e A SÉTIMA A SUA ALMA ABOMINA: olhos altivos, e língua mentirosa ... ” Provérbios 6:16-19
E VIU DEUS tudo quanto tinha feito, E EIS QUE ERA MUITO BOM; e foi a tarde e a manhã: o dia sexto. ” (Gênesis 1:31) 
E A IRA DE DEUS ACENDEU-SE, porque ele se ia; e o Anjo do SENHOR pôs-se-lhe no caminho por adversário; ” (Números 22:22) 
Deleito-me em fazer a TUA VONTADE, ó Deus meu; sim, a tua lei está dentro do meu coração.“ (Salmos 40:8) 

Jesus é o corpo de Deus:
No princípio, era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o VERBO ERA DEUS.” - João 1:1
E o Verbo SE FEZ CARNE e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do Unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade.” (João 1:14) 
“... porque nele (JESUS) HABITA corporalmente TODA A PLENITUDE DA DIVINDADE.” (Colossenses 2:9) 
Porque eu desci do céu NÃO PARA FAZER A MINHA VONTADE, mas a vontade daquele que me enviou”. (João 6:38)
Deus tem um Espírito (Espírito Santo):
O Espírito penetra todas as coisas, ainda as profundezas de Deus. Porque qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o espírito do homem, que nele está? Assim também NINGUÉM SABE AS COISAS DE DEUS, SENÃO O ESPÍRITO DE DEUS. ” (1Coríntios 2:10-11)
O ESPÍRITO DE DEUS ME FEZ; e a inspiração do Todo-Poderoso ME DEU VIDA. ” - (Jó 33:4) 
Ora, há diversidade de dons, mas o ESPÍRITO é o mesmo. ” (1Coríntios 12:4) 
Porque também Cristo padeceu uma vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus; mortificado, na verdade, na carne, mas VIVIFICADO PELO ESPÍRITO. ” (1 Pedro 3:18) 

Juntando as peças ...
DEUS - É amor (ama), possui uma mente (pensa), aborrece algumas coisas, aprecia algumas coisas, admira, se ira, tem vontade própria
JESUS - Verbo (ação), se fez carne, nele habita toda a plenitude da divindade, veio manifestar a vontade de Deus.
ESPÍRITO SANTO - Vida (criação, ressurreição de Jesus, dons espirituais), sabedoria de Deus

Muitas pessoas têm dificuldade de entender como Deus pode ser UM, e ao mesmo tempo ser TRÊS. Nós somos UM e TRÊS ao mesmo tempo!
Uma outra questão interessante está nesse verso da bíblia:
A carne, porém, com sua vida[nephesh], isto é, com seu sangue, não comereis.” (Gênesis 9:4)
A palavra hebraica “nephesh” significa “alma”, mas algumas poucas vezes é traduzida como “vida”. Será que a nossa alma está no sangue?!
Porque três são os que testificam no céu: o Pai, a Palavra (VERBO = JESUS), e o Espírito Santo; e ESTES TRÊS SÃO UM. E três são os que testificam na terra: o Espírito, e a água (MAIS DA METADE DO NOSSO CORPO É ÁGUA) e o sangue (ALMA?!); e estes três concordam num. ” - I João 5:7-8
Porque não temos que lutar contra a CARNE E O SANGUE, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais. " (Efésios 6:12)
Você já aceitou Jesus como seu Salvador? Ele é o único que tem poder para vivificar o seu espírito e fazer você ficar completo de novo!
Ora, o HOMEM NATURAL não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. Mas O QUE É ESPIRITUAL discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido. ” (1Co 2:14-15) 

Deus te abençoe!

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Tribunal do Reino Unido determina que a BBC foi cúmplice do 11 de Setembro


Na foto o prédio WTC7 esta atrás da repórter da BBC enquanto ela notifica a queda do mesmo

 
Homem no Reino Unido ganha processo judicial contra BBC por encobrir fatos com relação a queda do WTC 7 no 9-11


Tony Rooke recusou-se a pagar uma taxa de licença de TV, porque de acordo com ele a BBC intencionalmente deturpou fatos sobre os ataques de 11/9. É sabido que A BBC NOTICIOU O COLAPSO DO WORLD TRADE CENTER BUILDING 7 MAIS DE 20 MINUTOS ANTES QUE OCORRESSE. WTC 7 era um arranha-céu de 47 andares que não foi atingido por um avião em 9/11, mas caiu em velocidade de queda livre (o que só pode ocorrer por DEMOLIÇÃO CONTROLADA!!!) mais tarde naquele dia.

Então Rooke algeou que a BBC teve que ter tido conhecimento prévio de um ataque terrorista tornando-os cúmplices no ataque. Ele apresentou as filmagens da BBC para o juiz, juntamente com uma série de outras evidências, e o juiz concordou que Rooke tem um caso razoável para protestar. Rooke não foi considerado culpado e ele não foi multado por falta de pagamento da taxa de licenciamento.

Para todos os efeitos, UM TRIBUNAL DO REINO UNIDO ACABA DE DETERMINAR QUE A BBC FOI CÚMPLICE NO DIA 11 DE SETEMBRO DE 2001 NOS ESTADOS UNIDOS. Fantástico. Uma pequena vitória, mas uma grande vitória simbólica e que de outra forma você nunca teria ouvido falar. Então eu sugiro a você leitor que espalhe esta notícia. Espalhe-o longe. Este fato, ao menos simbolicamente falando é um fato de grande peso!  -Mort


No vídeo abaixo vemos a reporter falando da queda do WTC7 25 minutos antes da queda do mesmo!!
 Fonte

domingo, 23 de junho de 2013

O Foro de São Paulo e o Neo-Comunismo


“O objetivo do Foro de São Paulo é transformar o continente Latino Americano INTEIRO numa união de republica socialista” 
  
“Estudem a questão da máfia Rússia, e vocês verão que a Máfia Russa é a DONA das FARC e, portanto é dona do Foro de São Paulo. Estamos lidando com a KGB!”  


Cadê o médico? A situação VERÍDICA da saúde no país!!


sábado, 22 de junho de 2013

A 'DIREITA' BRASILEIRA EXTINTA

“A vaia despejada sobre a presidenta Dilma Rousseff no Estádio Nacional de Brasília, autêntica manifestação popular espontânea, já não se distingue da agitação planejada e subdidiada que acabou por utilizá-la, retroativamente, em proveito próprio”.

 
A PRIMEIRA VÍTIMA
 
Quaisquer que venham a ser os desenvolvimentos da onda de protestos no Brasil, sua primeira vítima está ali, caída no chão para não se levantar nunca mais, e ninguém sequer se deu conta da sua presença imóvel e fria: é a “direita” brasileira.
 
Durante décadas, desde os tempos do governo militar, os partidos e movimentos de esquerda vieram construindo sistemática e obstinadamente o seu monopólio das mobilizações de massa, enquanto o que restava da “direita”, atropelado e intimidado por acontecimentos que escapavam à sua compreensão, ia se contentando cada vez mais com uma concorrência puramente eleitoral, tentando ciscar nas urnas umas migalhas do que ia perdendo nas ruas.
 
Não sei quantas vezes tentei explicar a esses imbecis que o eleitor se pronuncia anonimamente de quatro em quatro anos, ao passo que a militância organizada se faz ouvir quantas vezes bem deseje, todos os dias se o quiser, dando o tom da política nacional e impondo sua vontade até mesmo contra um eleitorado numericamente superior.
     
Mas a idéia de formar uma militância liberal e conservadora para disputar o espaço na praça pública lhes inspirava horror. Como iriam bater de frente na hegemonia do discurso “politicamente correto”, se este, àquela altura, já se havia impregnado tão fundo nos seus próprios cérebros que já não viam perspectiva senão imitá-lo e parasitá-lo, na ânsia de ludibriar o eleitor e conservar assim os seus cargos, ainda que ao preço de esvaziá-los de qualquer mensagem ideológica diferenciada e própria?
 
Era inútil tentar fazê-los ver que, com isso, se enredavam cada vez mais, voluntariamente, na “espiral do silêncio” (v. Elisabeth Noelle-Neumann, The Spiral of Silence, The University of Chicago Press, 1993), técnica de controle hegemônico em que uma das facções é levada sutilmente a abdicar da própria voz, deixando à inimiga o privilégio de nomeá-la, defini-la e descrevê-la como bem entenda. Alguns eram até idiotas o bastante para se gabar de que faziam isso por esperteza, citando o preceito de Maquiavel: aderir ao adversário mais forte quando não se pode vencê-lo. Belo mestre escolheram. O autor do Príncipe foi um bocó em matéria de política prática, um fracassado que esteve sempre do lado perdedor.
 
Assim, foram se encolhendo, se atrofiando, se adaptando servilmente ao estado de coisas, até o ponto em que já não tinham outra esperança de sobrevivência política senão abrigar-se sob o guarda-chuva do próprio governo que nominalmente diziam combater.
 
Ao longo de todo esse tempo, ia crescendo a insatisfação popular com um partido que fomentava abertamente o banditismo assassino, cultivava a intimidade obscena com terroristas e narcotraficantes, tomava terras de produtores honestos para dá-las à militância apadrinhada e estéril, estrangulava a indústria mediante impostos, demolia a educação nacional ao ponto de fazer dela uma piada sinistra e, last not least, expandia a corrupção até consagrá-la como método usual de governo.
 
Milhões de brasileiros frustrados, humilhados, viam claramente o abismo em que o país ia mergulhando. Essa massa de insatisfeitos, como o demostravam as pesquisas, era acentuadamente cristã e conservadora. Em 2006 escrevi: “Com ou sem nome, a direita é 70 por cento dos brasileiros. Um programa político ostensivamente conservador teria portanto sucesso eleitoral garantido.” Mas, com obstinação suicida, a “direita” se recusava a assumir sua missão de porta-voz da maioria. Apostava tudo nas virtudes alquímicas da autocastração ideológica. “Um pouco mais adiante  -- escrevi na mesma ocasião -- , ela agravou mais ainda a sua situação, quando, após a revelação dos crimes do PT, perdeu a oportunidade de denunciar toda a trama comunista do Foro de São Paulo e, por covardia e comodismo, se limitou a críticas moralistas genéricas e sem conteúdo ideológico.”
 
E tanto tempo se passou, tão grande foi o vazio que de recuo em recuo essa direita foi abrindo, que a própria esquerda acabou notando a necessidade de preenchê-lo, mesmo ao preço de sacrificar uma parte de si própria e, como sempre acontece nas revoluções, cortar as cabeças da primeira leva de revolucionários para encerrar a fase de “transição” e  saltar para as rupturas decisivas, as decisões sem retorno. Há mais de um ano o Foro de São Paulo vinha planejando esse salto, contando, para isso, com os recursos do próprio governo somados aos da elite globalista fomentadora de “primaveras”.
 
Como não poderia deixar de ser em tais circunstâncias, o clamor da massa conservadora acaba se mesclando e se confundindo com os gritos histéricos do esquerdismo mais radical e insano, tudo agora instrumentalizado e canalizado pela única liderança ativa presente no cenário. Condensando simbolicamente essa absorção, a vaia despejada sobre a presidenta Dilma Rousseff no Estádio Nacional de Brasília, autêntica manifestação popular espontânea, já não se distingue da agitação planejada e subdidiada que acabou por utilizá-la, retroativamente, em proveito próprio.
 
Não se pode dizer que a esquerda tenha “roubado a voz” da direita, pois a recebeu de presente. A opção pelo silêncio, o hábito reiterado da autocastração, expulsou a direita nacional de um campo que lhe pertencia de direito e de fato, e terminou por matá-la. Ela não se levantará nunca mais. A insatisfação conservadora transmutou-se em baderna revolucionária e já não tem nem mesmo como reconhecer de volta o seu próprio rosto. Talvez algumas cabeças esquerdistas venham a rolar no curso do processo, mas as da direita já rolaram todas.
 
 
por Olavo de Carvalho | 20 Junho 2013
 
 
Publicado no jornal Diário do Comércio.
 

Movimento Passe Livre é Distração Para Golpe em SP?

Pontos para ponderar...

sábado, 11 de maio de 2013

ETs trabalhando no governo dos EUA



Esta ficando cada vez mais difícil ignorar a existência de OVNIs...! 

Conhecido como um dos maiores defensores da existência de extraterrestres na Terra, o ex-ministro canadense Paul Hellyer, de 89 anos, afirmou em audiência pública nos Estados Unidos que existem ETs no planeta e que pelo menos dois deles trabalham para o governo dos EUA.

“Há ETs vivos na Terra neste momento e pelo menos dois deles trabalham com o governo dos Estados Unidos, provavelmente. UFOs são tão reais quanto os aviões que voam sobre as nossas cabeças", afirmou Heyller.

O ex-ministro da Defesa canadense ainda afirmou que "ao menos quatro espécies extraterrestres têm visitado a Terra há milhares de anos".

O depoimento foi concedido na audiência pública de Washington, capital dos EUA, em que se debateu a existência de vida extraterrestre.


Neste vídeo o ex-Ministro da Defesa canadense Paul Hellyer fala de OVNIs. O vídeo foi feito em abril de 2008, na 10º Conferência do Clube Nacional de Imprensa, em Washington, Capital dos EUA.
O projeto de Abertura foi iniciado e encabeçado pelo Dr. Steven Greer em 1993.


domingo, 5 de maio de 2013

Veneno Branco

Um texto bastante esclarecedor e completo a respeito do leite de supermercado, do Dr. Alexandre Feldman.



O leite do supermercado é rotulado, por muitos (inclusive a maioria dos médicos e nutricionistas), como um alimento quase perfeito, muito necessário para o desenvolvimento dos ossos e dentes; tudo isso por conta do cálcio na sua composição.
 Quem já não ouviu que a criança precisa tomar bastante leite para evitar o raquitismo, enquanto que o adulto e o idoso devem ingerir muito leite para evitar a osteoporose? E que a proteína do leite é boa para o crescimento saudável?

 Tomar leite de supermercado não previne osteoporose. Está provado. Em um estudo científico enorme realizado pela universidade de Harvard, nos anos 90, e que recebeu o nome de Harvard Nurses Study, foram estudadas mais de 70 mil mulheres, e a conclusão foi estarrecedora: aquelas que tomavam pelo menos dois copos de leite ao dia, tinham significativamente mais osteoporose que o grupo que tomava um copo por semana.
 Como pode ser? Terá a ciência modificado seu conceito sobre o leite? Ou terá o leite se modificado?
 Pois é… foi o leite que mudou! 

Existe uma grande, imensa diferença entre o leite tomado puro, recém-saído da vaca (ou da cabra, cavalo etc) e o leite de supermercado.. 

O leite de supermercado é pasteurizado. Homogeneizado. Centrifugado. Clarificado. Filtrado. Bactofugado. Tratado à vácuo. Aquecido e reaquecido várias vezes. Só então ele alcança as gôndolas do mercado. Isso quando ele não é desnatado. Ou desidratado (em pó). Ou ambos.  

Como veremos, a indústria do leite está interessada apenas nos cifrões, na quantidade. Não na saúde. Para eles, todo esse processamento do leite é sinônimo de qualidade. Mas infelizmente, esse leite não possui mais nenhum parentesco com o leite cru, in natura. Ambos são brancos. Mas a semelhança para por aí. Em termos bioquímicos, enzimáticos e nutricionais, eles são completamente diferentes. 

A importância das enzimas presentes nos alimentos está começando a ser estudada só agora, pela ciência de ponta. A pasteurização do leite destrói as suas enzimas. Uma delas, a fostatase, é essencial para a absorção do cálcio. Agora, me responda: de que adianta o leite conter cálcio, se a sua absorção está prejudicada? Na prática, tudo se passa como se esse leite fosse pobre em cálcio! Você já reparou que a osteoporose está atacando pessoas cada vez mais jovens?

Outra enzima presente no leite, a lipase, é útil para a absorção dos ácidos graxos (gorduras). Porém, é destruída pela pasteurização. A enzima galactase, importante para a digestão do açúcar do leite (que recebe o nome de galactose), é perdida. A catalase, peroxidase, diastase… todas as enzimas que facilitam e propiciam a utilização dos nutrientes desaparecem. Os próprios nutrientes do leite se alteram ou são destruídos com a pasteurização e o processamento industrial. Por exemplo: Você, que sempre acreditou nos benefícios do leite, rico em cálcio, aos dentes, precisa levar em conta que a destruição e alteração de outros de seus nutrientes, pelo processamento industrial, acaba causando um efeito radicalmente inesperado. 

O Dr. Ralph Steinman, professor emérito da faculdade de odontologia da Universidade Loma Linda na Califórnia, realizou num estudo científico em ratos, dividindo-os em 3 grupos: o primeiro, alimentado com ração normal, teve menos de uma cárie, em média, ao longo da vida. O segundo grupo recebeu uma alimentação recebeu numa dieta repleta de açúcar, e apresentou uma média de 5,6 cáries por rato, ao longo da vida. Mas o terceiro grupo foi alimentado com leite pasteurizado homogeneizado, e apresentou 9,4 cáries por rato, em média. A propósito, o processo de formação de cáries é idêntico em ratos e seres humanos. Se o leite industrializado faz isso com os dentes, imagine então os ossos!

Agora, imagine as crianças, que além de leite industrializado, consomem avidamente chocolate, brigadeiro, leite condensado, bolacha, batata frita, macarrão e outras fontes de açúcar!!! O pior é que esse péssimo hábito é reforçado pelos pais, pela escola, pelos buffets infantis, pelos avós, enfim, por todo mundo! A saúde dos dentes reflete a saúde do organismo como um todo. Dentes ruins são sinal de saúde ruim. Hoje em dia, os cardiologistas já comprovaram que a aterosclerose e as cáries andam de mãos dadas. Ambos os processos fazem parte de um mesmo estado degenerativo. A única diferença é que as cáries aparecem primeiro. 

Você percebe? Não basta apenas o cálcio. 

O leite cru possui uma série de nutrientes, alguns dos quais ainda não foram nem sequer isolados e identificados pela ciência, mas cujos efeitos podem, sim, ser observados após a perda ou alteração desses nutrientes pelo processamento industrial. O leite contém um açúcar chamado lactose. Por sinal, em grandes quantidades. Se o leite for cru, essa lactose não possui o efeito destrutivo do açúcar comum (sacarose), pois é absorvido bem mais lentamente e, assim, não sobrecarrega o pâncreas na produção de quantidades excessivas de insulina.

Por outro lado, se o leite for pasteurizado, a coisa muda: o aquecimento a altas temperaturas transforma a lactose em beta-lactose, que é um açúcar muito mais rapidamente absorvido pelo organismo, resultando em picos excessivos de insulina e sobrecarga do pâncreas. Quando essa insulina acaba de cumprir o papel de livrar o sangue do excesso de açúcar, ela permanece na circulação por mais um tempo, desta vez retirando açúcar necessário ao bom funcionamento do cérebro e do organismo. O organismo reage imediatamente a essa baixa anormal de açúcar, provocando uma sensação de fome. Fome por alguma coisa que reponha rapidamente esse açúcar, como por exemplo, um doce, ou quem sabe, mais leite. A coisa vira um ciclo, uma espiral, uma bola de neve. Um dos resultados é a obesidade, que por sinal, está se tornando uma epidemia. 

Outro resultado é a enxaqueca, depressão, ansiedade, crises de pânico e desequilíbrio hormonal (e suas conseqüências). O processo de homogeneização do leite consiste em filtrá-lo sob alta pressão, de modo a reduzir ao máximo o tamanho dos glóbulos de gordura que nele contém, de modo que o leite não separe, ou seja, não forme nata. Fique sempre homogêneo. Esses glóbulos de gordura possuem uma membrana externa, microscópica, constituída por uma certa proporção de proteínas e gorduras. Com a homogeneização, ocorre um aumento brutal na área de superfície desses glóbulos de gordura, a perda da estrutura original das membranas desses glóbulos e sua substituição por uma proporção bem maior de proteínas que no leite cru. Este fator pode ser um dos responsáveis pela tendência do leite industrializado a provocar alergias.

As proteínas do leite, como a caseína, lactoalbumina e lactoglobulina, são estruturas químicas complexas que, quando aquecidas além de 46 graus, começam a sofrer um processo chamado desnaturação. Esse nome é ótimo, porque diz tudo. Com a pasteurização, Elas perdem (des) o seu estado natural (naturação) e se tornam substâncias estranhas ao organismo de quem as ingere. Quando entramos em contato com elas, nosso sistema imunológico as reconhece – em maior ou menor grau – como se fossem corpos  estranhos! Quando é em maior grau, o indivíduo tem sorte, pois já sabe que, se tomar o leite do supermercado, sofrerá uma série de reações intensas (digestivas e outras). Quando esse reconhecimento é em menor grau, como no caso da maioria das pessoas, as reações não são visíveis, nem óbvias, mas acontecem. Um sistema imunológico voltado, ainda que em baixo grau, para uma reação inútil contra estruturas do leite de supermercado, está passando por uma sobrecarga desnecessária. E constante, naqueles indivíduos que fazem uso quotidiano desse leite. O sistema imunológico é quem comanda a regeneração e cura das doenças. Um sistema imunológico sobrecarregado não combina com nenhum tipo de melhora! 

Crianças e adultos, no meu consultório, com gripes e resfriados, infecções de ouvido freqüentes, dores de cabeça, enxaquecas… param o leite de supermercado, e em 3 meses, nunca mais querem ver esse leite pela frente, pois sentem-se melhor! 

Tente você também. 
E tem mais: essa reação do sistema imunológico, por menor que seja, é uma reação denominada inflamatória. Acompanhe o raciocínio: Qualquer dor, inclusive a dor de cabeça, compreende, entre outras coisas, no seu mecanismo, uma inflamação. Se você, além de sofrer de dores de cabeça, consome, sistematicamente, algum ingrediente que pode causar uma resposta inflamatória do corpo, estará criando um estado pró-inflamatório no seu organismo. Fica muito mais fácil ter dor!

O leite de supermercado pode predispor a doenças auto-imunes, pois os anticorpos voltados contra as estruturas do leite podem, “sem querer”, reconhecer estruturas do nosso próprio corpo (articulações, pâncreas e outros órgãos e tecidos) como se fossem as estruturas do leite. Nessa hora, você começa a ser atacado pelos seus próprios anticorpos. São as assim chamadas doenças auto-imunes. 

Bebês que, nos primeiros 6 meses, se alimentam com leite pasteurizado em detrimento do materno, têm maior incidência de infecções respiratórias, diarréia, pneumonia, infecções de ouvidos, e outras doenças bacterianas e virais. Há até cientistas correlacionando a ingestão de leite pasteurizado no primeiro semestre de vida, com o aparecimento maior de doenças do sistema imune, por exemplo, diabetes, colite ulcerativa, doença celíaca e outras, em comparação aos não-consumidores de leite de vaca.

Por que, então, consumimos leite pasteurizado? A resposta é simples: Propaganda, propaganda e propaganda.

A última moda, agora, é o leite ultrapasteurizado. Dê uma olhada em muitas caixinhas de leite de supermercado, e você poderá ver as letras UHT impressas no rótulo. UHT nada mais é que a abreviatura de Ultra HighTemperature – temperatura ultra alta. Pelo que você já leu até aqui, já dá para entender que isso não é uma coisa nada boa. Pesquisadores da Universidade de Washington, em 1960, ficaram interessados em resultados de estudos mostrando uma incidência maior de infarto em portadores de úlcera do estômago, e levantaram a suspeita de que o leite pasteurizado, utilizado na época pelos pacientes para aliviar seus sintomas de queimação, pudesse estar exercendo um papel nesse processo. Fizeram, então, um estudo estatístico ligando o consumo do leite à incidência de infarto, e que foi publicado na revista Circulation, volume 21, página 438. O estudo comparou a incidência de ataques cardíacos em consumidores quotidianos de leite pasteurizado versus não consumidores. 

O resultado? Três vezes mais consumidores de leite tiveram ataques cardíacos, nos Estados Unidos. Na Inglaterra, seis vezes mais. Quem levou a culpa? A gordura do leite. E assim, desnataram o leite. O mundo inteiro passou a consumir leite desnatado e alimentos com baixos teores de gordura. 

Será que essa atitude levou a uma diminuição das doenças coronarianas? As estatísticas dizem que não. Atenção, leitor: apesar do que você lê ou ouve, saiba que qualquer recomendação para diminuir o consumo de gordura animal não possui fundamento científico. As gorduras animais são substâncias biológicas estáveis, não se oxidam facilmente, não dão origem a radicais livres facilmente e, sobretudo, contêm nutrientes fundamentais, essenciais, vitais para a sua saúde e da sua família. As crianças, em particular, necessitam de um ótimo suprimento de gordura animal de boa qualidade, a fim de garantir o seu perfeito desenvolvimento físico e neurológico. 

A que interesses atende o consumo de leite industrializado? Aos interesses de uma indústria multibilionária. A megaindústria investe bilhões para romancear o seu produto, associá-lo a bichinhos, a cenas da infância e musiquinhas, em propagandas espalhadas por todos os lugares, que absorvemos através dos nossos cinco sentidos, todos os dias, repetidas vezes. Uma verdadeira lavagem cerebral.

O leite, em seu estado original (ou seja, recém-saído de uma vaquinha saudável, criada solta e não em confinamento, que não recebe hormônios e se alimenta não de ração mas sim de pasto – sem agrotóxicos – em suma, uma vaquinha feliz!), é um alimento muito saudável, denso em nutrientes importantíssimos, que nutriu nossos antepassados das mais variadas partes do planeta, em toda a sua jornada ao longo da História. 

O mais sensato, face à potencial contaminação por micróbios nocivos, seria tirar o leite de vacas saudáveis, que se nutrem de capim e pasto (alimentos que a natureza lhes reservou para se manterem saudáveis); e comercializar esse leite como um produto altamente perecível. Isso é impossível numa mentalidade industrial cujo principal objetivo é o lucro, não a saúde. Afinal, o leite de verdade (não pasteurizado, portanto cru) pode facilmente azedar ou coalhar – e como explicar isso para o consumidor?

A propósito, leite cru azedo ou coalhado é tão ou mais saudável que a versão original. Essa transformação (na verdade, em uma forma de iogurte) é levada a cabo pelas bactérias benéficas que habitam o leite (lactobacilos vivos). Essas mesmas bactérias fazem um bem imenso ao nosso organismo e protegem o leite cru de contaminações por micróbios nocivos. Os lactobacilos, habitantes naturais do leite, morrem todos com a pasteurização, tornando-o vulnerável à contaminação pelo primeiro micróbio nocivo que aparecer. Esse sim é um produto perigoso! 

Se a estrutura química do leite é modificada pela pasteurização a ponto de se tornar estranha ao nosso sistema imunológico, a transformação desse leite – mesmo pasteurizado – em iogurte, modifica novamente a estrutura molecular do leite de modo a neutralizar o potencial malefício.

Por isso, minha dica desta semana é: substitua o leite pelo iogurte em sua vida/.

Cuide apenas para que o iogurte seja integral e não desnatado. Quanto menos processamento, melhor. 

Lembre-se que não estou me referindo aos iogurtes que já vêm com sabor de frutas, repletos de corantes, conservantes e outras substâncias químicas. Prefira o iogurte natural, que você pode bater no liqüidificador com a fruta da sua preferência.

Fonte: http://pat.feldman.com.br/2008/08/26/leite-verdades-e-mentiras/