quarta-feira, 4 de maio de 2011

Bin Laden morreu em 2001, 9/11 foi uma farsa

Mito de Osama: Invenção para dominar o mundo
 Informante de alto escalão do governo dos EUA, Dr. Steve R. Pieczenik, um homem que trabalhou em diversas posições influentes debaixo de três presidentes diferentes e ainda trabalha com o Departamento de Defesa, para o espanto de todos falou ao The Alex Jones Show ontem que Osama Bin Laden morreu em 2001, e que estava preparado a depor diante de um júri o fato de que um general de alta posição lhe disse diretamente que 11/09 foi uma falsa bandeira provocada internamente.

Pieczenik não pode ser descartado como "conspirador”. Ele atuou como Assistente do Secretário Adjunto de Estado de três administrações diferentes, Nixon, Ford e Carter, além de trabalhar sob Reagan e Bush pai, e ainda trabalha como consultor para o Departamento de Defesa. Ex-capitão da Marinha dos EUA, Pieczenik recebeu dois prestigiados prêmios da Harry C. Solomon da Harvard Medical School por ter completado simultaneamente um doutorado no MIT.

Recrutado por Lawrence Eagleburger como vice-secretário assistente de Estado da Administração, Pieczenik passou a desenvolver, "os princípios básicos para a guerra psicológica, combate ao terrorismo, estratégia e táticas de negociação trans-cultural para o Departamento de Estado dos EUA, militares e comunidades de inteligência e outras agências de Governo dos EUA", ao mesmo tempo, desenvolvendo estratégias fundamentais para resgate de reféns, que foram posteriormente utilizados em todo o mundo.

Pieczenik serviu também como um planejador sênior da política com secretários Henry Kissinger, Cyrus Vance, George Schultz e James Baker e trabalhou na eleição de George W. Bush, na campanha contra a Al Gore. Sua ficha ressalta o fato de que ele é um dos homens mais profundamente ligados aos círculos de inteligência dos últimos trinta e poucos anos.

O personagem de Jack Ryan, que aparece em muitos romances de Tom Clancy e também foi interpretado por Harrison Ford no popular filme 1992 Patriot Games, também é baseado em Steve Pieczenik.

Filme baseado em Steve Pieczenik

Em abril de 2002, a mais de nove anos atrás, Pieczenik disse ao Alex Jones Show que Bin Laden já tinhasido morto "há meses", e que o governo estava esperando o momento politicamente mais oportuno paralançar o seu cadáver. Pieczenik estaria em posição para saber, tendo conhecido pessoalmente Bin Laden e trabalhado com ele durante a guerra por procuração contra os soviéticos no Afeganistão, nos anos 80.

Pieczenik disse que Osama Bin Laden morreu em 2001, "Não porque as forças especiais o mataram. Como médico, eu tomei conhecimento de que o médico da CIA tinha tratado ele, e constava na lista de inteligência que ele tinha síndrome de Marfan”, e acrescentou ao dizer que o governo dos EUA sabia que Bin Laden estava morto antes de terem invadido o Afeganistão.

A síndrome de Marfan é uma doença degenerativa genética para a qual não há cura definitiva. Esta grave doença encurta o tempo de vida do doente

"Ele morreu de síndrome de Marfan, Bush estava ciente disso, e a comunidade de inteligência também", disse Pieczenik, observando que os médicos da CIA tinham visitado Bin Laden em Julho de 2001 no Hospital Americano em Dubai

"Ele já estava muito doente com resultado da síndrome de Marfan e já estava morrendo, então ninguém tinha que matá-lo", acrescentou Pieczenik, afirmando que Bin Laden morreu pouco depois de 9 /11 em seu complexo de cavernas de Tora Bora.

"Será que a comunidade de inteligência ou o médico da CIA montaram esta situação, a resposta é sim, categoricamente, sim", disse Pieczenik, referindo-se a alegação de domingo que Bin Laden foi morto em seu complexo, no Paquistão, acrescentando: "Todo este cenário onde você vê um bando de gente sentado olhando para uma tela e olham como se estivessem vendo algo tão intenso, é um absurdo", se referindo às imagens divulgado pela Casa Branca que pretendem mostrar Belem, Obama e Hillary Clinton assistindo a operação para matar Bin Laden ao vivo na tela da televisão.

um total disfarce, faz de conta, estamos no teatro americano do absurdo... Por que estamos fazendo isso de novo... há nove anos, este homem já estava morto... por que o governo tem que repetidamente mentir para o povo americano, indagou Pieczenik.

"Osama Bin Laden estava totalmente morto, então não existe nenhuma maneira deles terem atacado ou confrontados ou matado Osama bin Laden", disse Pieczenik, brincando que a única maneira que isso poderia ter acontecido seria se as forças especiais atacassem um necrotério.

Pieczenik disse que a decisão de lançar o boato agora foi feita porque Obama tinha chegado a uma baixa,com queda nos índices de aprovação e também por causa do fato de que a questão da certidão dele estava explodindo na sua cara.

"Ele tinha que provar que era mais do que o americano... ele tinha que ser agressivo", disse Pieczenik, acrescentando que a farsa foi também uma forma de isolar o Paquistão como uma retaliação à intensa oposição ao programa drone Predator, que tem matado centenas de paquistaneses...

"Foi tudo orquestrado, você tem pessoas sentadas ao redor assistindo a uma comedia, basicamente o centro de operações da Casa Branca, e você tem um presidente que sai quase como um zumbi dizendo que acabaram de matar o Osama Bin Laden, que já estava mortonove anos”, disse Pieczenik, chamando o episódio de, "a maior mentira que já ouvi, eu quero dizer que foi um absurdo.”

Descartando o conto do governo quanto ao assassinato de Bin Laden como uma "piada de mau gosto" para o povo americano, Pieczenik disse: "Eles estão tão desesperados para fazer Obama aparentar ser viável que negam o fato de que ele pode não ter nascido aqui (nos EUA), negam quaisquer dúvidas a respeito de seus antecedentes, as irregularidades sobre o seu passado, tudo para fazê-lo ter uma aparência mais assertiva... para re-eleger esse presidente e para que o público americano possa ser enganado novamente.

A afirmação de Pieczenik de que Bin Laden morreu há quase dez anos é ecoado por numerosos profissionais de inteligência, assim como os chefes de Estado em todo o mundo

Bin Laden, "foi usado da mesma forma que o 11 de setembro foi usado para mobilizar as emoções e os sentimentos do povo americano para participarem de uma guerra que tinha que ser justificados através de uma narrativa que Bush júnior e Cheney inventaram sobre o mundo do terrorismo, afirmou Pieczenik.

Durante sua entrevista no Alex Jones Show, ontem, Pieczenik também afirmou que ele foi diretamente informado por um general de destaque que o 11 de setembro foi uma operação clandestina de bandeira falsa, e acrescentou que está preparado para ir para um grande júri para revelar o nome deste general.

"Eles realizaram os ataques", disse Pieczenik, nomeando Dick Cheney, Paul Wolfowitz, Stephen Hadley, Elliott Abrams, e Condoleezza Rice, entre outros, como tendo sido diretamente envolvidos.

"Eu ensinei técnicas de operações clandestinas e de bandeira falsa no National War College, eu ensinei isso a os meus agentes, então eu sabia exatamente o que estava sendo feito com público americano", acrescentou.

Pieczenik reiterou que estava perfeitamente disposto a revelar em um tribunal federal o nome do general que lhe informou que o 11 de setembro foi um trabalho interno, "para que possamos desvendar essa coisa de forma legal, e não de forma estúpida como foi a Comissão de 11/09 que foi um absurdo.

Pieczenik explicou que ele não é um liberal, um conservador ou um membro do movimento “Tea Party”, apenas um americano que está profundamente preocupado com o rumo que seu país está tomando.

Assista à entrevista completa EM INGLÊS com o Dr. Pieczenik no link abaixo.

Um comentário:

  1. Muito obrigado por traduzir este texto, irei divulgar em meu blog e fórum de discussões, com o devido crédito:

    http://www.anovaordemmundial.com/
    http://forum.antinovaordemmundial.com

    ResponderExcluir