terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Autoritarismo: o estado natural da Humanidade

O professor David Shearman, conselheiro do IPCC das Nações Unidas, diz que os humanos são um “eco-tumor maligno” e um “câncer ecológico”.

(Versão Português Luis R. Miranda)

Um professor influente que foi consultor do IPCC das Nações Unidas pediu para que a democracia para seja substituída por uma eco-ditadura, onde as massas escravizadas são regidas por “elites” e obrigados a seguir uma religião verde.

Este é outro exemplo impressionante de como os alarmistas do aquecimento global estão se mostrando como os eco-fascistas que são. David Shearman é professor emérito de medicina na Universidade de Adelaide, e professor visitante no Departamento de Geografia da Universidade e Ciências do Ambiente e da Faculdade de Direito. Shearman foi consultor do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas, em seu Terceiro e Quarto Relatório de Avaliação.

Em seus escritos, Shearman, rotula a humanidade como um “tumor ecológico maligno” e um “câncer ecológico”, e diz que “o autoritarismo é o estado natural da humanidade” e para salvar o planeta da mudanças climáticas, pelo qual a humanidade é equivocadamente responsabilizada, precisamos da “liderança de guerreiros de elite” treinados para lutar pelo futuro da terra.”

Parte desta batalha envolve a substituição das religiões tradicionais, como o cristianismo e o islamismo com uma nova religião verde que, segundo ele, ficaria melhor com um governo autoritário. “Não é impossível que a partir do movimento verde e aspectos do movimento da nova era exista uma alternativa religiosa ao cristianismo e islamismo”, escreve Shearman. “Não é muito difícil imaginar como essa nova religião poderia ser. Pode exigir um Deus transcendente que iria punir e recompensar, porque os seres humanos parecem precisar de uma cenoura e um pedaço de pau”.

O “Deus transcendente” do Shearman é o Deus do Estado, que pune os cidadãos escravos pelos seus delitos, nos seus termos de totalitárismo ecológico. Ele defendeu abertamente a produção artificial de um Deus novo e uma nova religião, de modo que as massas do povo escravizado sob sua planejada eco- autocracia estejam vinculados ao programa de lavagem cerebral. Isto, obviamente, tem suas raízes nas crenças pagãs que bárbaros sacrifícios são necessários para apaziguar a mãe terra, que em uma fase na história incluiu mães que participavam no assassinato dos seus próprios filhos como instrumento para atingir o bem coletivo.

Ainda mais frio, Shearman defende a criação de centros de reabilitação onde os eco-zumbis são treinados para fazer parte de um exército ecológico de executores.

“Capítulo 9 descreve em detalhes como o processo poderia começar a construção com uma verdadeira universidade para treinar os eco-guerreiros para lutar contra os inimigos da vida. Temos que ter essa educação com a mesma dedicação que Esparta teve ao treinar seus guerreiros. Como em Esparta, essas elites naturais são especialmente treinadas desde a infância para enfrentar os desafios difíceis do nosso tempo “, escreve Shearman.

Shearman descreve sua visão de uma ditadura mundial composto pela elite dominante no planeta, na página 134 de seu livro, “O Desafio da Mudança Climática e o Fracasso da Democracia”.

“O governo, no futuro será baseado em um. . . Escritório Supremo da Biosfera. O escritório terá filósofos e ambientalistas especializados. Esses mentores vão governarse a si mesmos ou um governo autoritário, com conselhos sobre as políticas de formação com base na sensibilidade ecológica e filosófica. Esses representantes são especialmente treinados para a tarefa.”

“Se isto fosse escrito em um blog, o plano provavelmente causaria uma visita da ramo da polícia anti-terrorista”, escreve Haunting no Blog da Biblioteca. “Mas o fato de que ele é um professor de uma grande universidade, que trabalha para o IPCC e foi escrito a pedido de uma instituição acadêmica séria, fundada por ato do Congresso, significa que o autor não precisa temer de nada. Mas o resto de nós deveriamos.”

“Eu poderia continuar citando o livro, mas tenho certeza que você tem a essência do que é aqui proposto: o aquecimento global representa um perigo enorme e imediato para o que a democracia já não funciona, e um governo autoritário orgânico de “elites naturais ” deve ser seu substituto e uma nova religião ecológica pode ajudar a fornecer a “cola social para as atrair as massas.”

Como temos documentado, Shearman não está sozinho em sua chamada pela supressão da liberdade e para que esta seja substituída por uma tirania verde autoritária. Na verdade, esta é uma causa comum adotada por uma série de ativistas e cientistas influentes no tema das mudanças climáticas.

- O ambientalista finlandês e alarmistas do aquecimento global, Pentti Linkola apelou publicamente para que os céticos do aquecimento global sejam “reeducados” em eco-campos de concentracão e a grande maioria dos seres humanos sejam assassinados. O resto resto da população deve ser escravizada e controlada pelo Estado e esterilizada à força, os veículos apreendidos e as viagens restringida, mas não para os membros da elite. Linkola quer que os últimos 100 anos de progresso da humanidade sejam “destruídos”.

- James Lovelock, criador da hipótese Gaia, disse ao jornal The Guardian no ano passado que “a democracia deve ser colocada em espera” para combater o aquecimento global e que “algumas pessoas de autoridade” devem controlar o planeta. (É POR ISSO QUE FICAM BERRANDO AOS QUATRO VENTOS A MENTIRA DO "AQUECIMENTO GLOBAL PROVOCADO PELO HOMEM"!!!)

- Este sentimento foi ecoado por Keith Farnish, escritor e ambientalista, que afirmou num livro recente que ele apoia a sabotagem e o terrorismo ambiental como a demolição das barragens e cidades, a fim de devolver o mundo para a era agrária. O proeminente alarmista do aquecimento global da NASA, Dr. James Hansen, um aliado do Al Gore aprovou o livro escrito pelo Farnish.

- O czar da ciência da Casa Branca, John P. Holdren também defende obscenas práticas ditatoriais, eco-fascistas e desumanas em nome do ambientalismo. Em seu livro Ecoscience, Holdren pede um “sistema tirânico planetário” para realizar abortos forçados e procedimentos de esterilização forçada, bem como drogar o abastecimento de água em uma tentativa de sacrifício humano.

- Outra figura de destaque no debate sobre mudanças climáticas que exemplifica o sistema de crenças violentas é o Dr. Eric R. Pianka, um biólogo americano baseado na Universidade do Texas em Austin. Durante um discurso para a Academia de Ciências do Texas em 2006, Pianka defendeu a necessidade de exterminar 90% da população mundial com o vírus Ebola no ar.

Para uma amostra do que iria viver sob a tirania do Shearman, basta dar uma olhada no vídeo a seguir, que como exploramos em detalhe recentemente, promove a instituição de, literalmente, “cidades prisão”, onde as populações são controladas com sistemas de alta tecnologia, sua comida é racionada e onde o Estado regula todos os aspectos da sua existência e prende aqueles que se recusam a seguir os seus dogmas em ‘guetos miseráveis’.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário