sábado, 29 de janeiro de 2011

Ficção Bem Próxima da Realidade

Uma idéia do que poderia acontecer em um futuro próximo caso o dólar venha a cair.

OBSRVAÇÃO DOS TRADUTORES DO VÍDEO:
Não estamos recomendando a venda deste livro, e nada poderá ser feito para ter prosperidade nos tempos que virão. Muito menos comprar ouro e prata. Provavelmente um sistema de biochips será implantado ao invés de uma Moeda Única Mundial, pois será muito mais barato utilizar um biochip que utiliza o mesmo sistema de cartão de créditos (e já existem máquinas para leitura de cartões em todas as lojas do mundo), do que imprimir uma moeda global em grande escala.

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Eugenia: Os Novos Nomes para a Velha Prática

O controle populacional não é nada novo, já a muito tempo os senhores do mundo tem se ocupado com essas terriveis atividades.

Veja como surgiu e o que significa eugenia, conheça seus primeiros defensores, saiba como a família rockefeller contribuiu para o exterminio judeu por parte de hitler, de quem o fundador da IBM era fã declarado e como sua participação e de sua invenção pode ajudar a hitler no holocauso.

Veja como os cientistas de hitler foram defendidos da prosão e da morte em julgamentos após a guerra e como os aliados tiveram sua cooperação, sendo esses cientistas eugenistas empregados e ocupando posições de destaque nesses países.

E mais: a reunião do clube de roma que mudou o roteiro e apresentou a solução para uma eugenia aceitavel escondida por tras de programas ambientais.

Como os Homens mais ricos do fundo fazem doações astronômicas para as implementações dos processos de eugenia.

Saiba por que os eugenistas se transformaram em geneticistas, antropófagos etc. e como eugenia, higiene social e darvinismo social mudaram de nome para, planejamento familiar entre outros novos nomes para a velha prática.





sábado, 22 de janeiro de 2011

Estado Totalitário - a la George Orwell

PARA ONDE VAI O BRASIL?

Texto de Luis Eduardo Rocha Paiva, General do exército brasileiro, na reserva, publicado em 17.03.2010.

 No regime democrático, o Estado e as instituições servem à nação, e não a governos e seus programas político-partidários.

No regime totalitário, o partido único (ou hegemônico) é um novo ator, que predomina na relação nação-Estado. Este último e suas instituições, entre elas as forças armadas (F.A.), servem ao partido e não à nação, sobre a qual prevalecem.

A história mostra que o direito é alterado ao sabor do poder dominante em sistemas desequilibrados. O regime democrático depende do equilíbrio entre os poderes, ficando sob ameaça quando, como ocorre hoje no Brasil, o Executivo hipertrofiado e seu partido estabelecem estratégia para a tomada total do poder, como está claro no Programa Nacional de Direitos Humanos – PNDH.

É perigoso um Legislativo fisiológico e moralmente desgastado, que se submete às pressões do Executivo, e um STF com sete de onze ministros indicados pelo presidente da República, hoje um indispensável e oportuno aliado da esquerda radical em seus propósitos. Porém, o PT sabe que sua candidata, mesmo vencendo a eleição presidencial, não é uma liderança nacional capaz de conduzir com êxito o projeto totalitário do partido. Assim, ao contrário do mandato atual, o PT será protagonista nesse eventual governo, daí o empenho em aprovar algumas propostas do PNDH, sem o que será praticamente impossível concretizar a tomada total do poder.

Caso o Legislativo e o Judiciário se dobrem à pressão do Executivo e alterem normas legais e constitucionais que asseguram o regime democrático a fim de endossar certas propostas do PNDH, o PT vai controlar, cercear a liberdade e conduzir todos os setores da nação ao encontro de seu projeto de poder. Para isso, utilizará as comissões e conselhos previstos no programa que, aparelhados pelo partido, serão a versão nacional dos comissários do povo e sovietes das jurássicas repúblicas socialistas.

Um dos objetivos imediatos da esquerda radical é a neutralização das Forças Armadas, sendo a Comissão da Verdade tentativa de deixá-las inertes e na defensiva. A alteração do texto do PNDH não impede o propósito de apresentar versão facciosa dos eventos históricos, objeto da comissão. Ela está sendo preparada por um grupo de trabalho totalmente parcial, portanto, seu nome pode ser qualquer um menos Comissão da Verdade. As FA são comprometidas unicamente com a nação, o Estado e a Constituição como devem ser nos regimes democráticos. A esquerda radical pretende enfraquecer esse compromisso e redirecioná-lo para o partido; o que será impossível, pois as FA teriam de negar o próprio berço e a histórica aliança com o povo brasileiro e suas aspirações, entre elas a de liberdade.

A visão de futuro da esquerda radical é a de um Estado forte, de economia planificada centralizadamente e com grandes empresas estatais. Baseia-se em uma aliança tácita que apoia, mas controla o empresariado, cujo lucro e gestão dependerão dos financiamentos do governo e dos fundos de pensão nas mãos do Estado. O modelo se assemelha ao capitalismo de estado chinês, adaptado ao perfil nacional, como se deduz das Diretrizes Programáticas do PT – 2011/2014. É projeto desenvolvimentista para transformar o Brasil em uma potência política, econômica e militar, mas seu custo é a perda da liberdade, uma cara aspiração nacional. Hoje, essa esquerda alia-se com defensores dos direitos humanos, ambientalistas e altas lideranças políticas oportunistas, mas, quando estiver fortemente assentada no poder vai se descartar desses incômodos companheiros de viagem, a exemplo dos conhecidos expurgos das revoluções totalitárias.

Visão prospectiva não é adivinhação, mas avaliação de tendências e, em estratégia, o tempo se conta por décadas, não a cada ano. A esquerda radical vê a possibilidade de permanecer no poder até 2022, tempo bastante para concretizar sua estratégia de tomada total do poder já em andamento.

Na Carta Magna, está clara a opção da nação pelo regime democrático, como se vê no Preâmbulo, Capítulo I e artigo 5º. O Brasil não quer ser um país igual à China do massacre da Praça Celestial e da internet censurada; à Venezuela do desabastecimento, incompetência e ditadura bolivariana; à Cuba dos presídios, “paredões” e fuzilamentos; e ao Irã das eleições fraudadas, prisões e assassinatos de opositores. Neste e nos próximos anos, a vontade da nação e a estabilidade das instituições, entre elas as FA, passarão por teste decisivo para o futuro de nossa democracia.


terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Autoritarismo: o estado natural da Humanidade

O professor David Shearman, conselheiro do IPCC das Nações Unidas, diz que os humanos são um “eco-tumor maligno” e um “câncer ecológico”.

(Versão Português Luis R. Miranda)

Um professor influente que foi consultor do IPCC das Nações Unidas pediu para que a democracia para seja substituída por uma eco-ditadura, onde as massas escravizadas são regidas por “elites” e obrigados a seguir uma religião verde.

Este é outro exemplo impressionante de como os alarmistas do aquecimento global estão se mostrando como os eco-fascistas que são. David Shearman é professor emérito de medicina na Universidade de Adelaide, e professor visitante no Departamento de Geografia da Universidade e Ciências do Ambiente e da Faculdade de Direito. Shearman foi consultor do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas, em seu Terceiro e Quarto Relatório de Avaliação.

Em seus escritos, Shearman, rotula a humanidade como um “tumor ecológico maligno” e um “câncer ecológico”, e diz que “o autoritarismo é o estado natural da humanidade” e para salvar o planeta da mudanças climáticas, pelo qual a humanidade é equivocadamente responsabilizada, precisamos da “liderança de guerreiros de elite” treinados para lutar pelo futuro da terra.”

Parte desta batalha envolve a substituição das religiões tradicionais, como o cristianismo e o islamismo com uma nova religião verde que, segundo ele, ficaria melhor com um governo autoritário. “Não é impossível que a partir do movimento verde e aspectos do movimento da nova era exista uma alternativa religiosa ao cristianismo e islamismo”, escreve Shearman. “Não é muito difícil imaginar como essa nova religião poderia ser. Pode exigir um Deus transcendente que iria punir e recompensar, porque os seres humanos parecem precisar de uma cenoura e um pedaço de pau”.

O “Deus transcendente” do Shearman é o Deus do Estado, que pune os cidadãos escravos pelos seus delitos, nos seus termos de totalitárismo ecológico. Ele defendeu abertamente a produção artificial de um Deus novo e uma nova religião, de modo que as massas do povo escravizado sob sua planejada eco- autocracia estejam vinculados ao programa de lavagem cerebral. Isto, obviamente, tem suas raízes nas crenças pagãs que bárbaros sacrifícios são necessários para apaziguar a mãe terra, que em uma fase na história incluiu mães que participavam no assassinato dos seus próprios filhos como instrumento para atingir o bem coletivo.

Ainda mais frio, Shearman defende a criação de centros de reabilitação onde os eco-zumbis são treinados para fazer parte de um exército ecológico de executores.

“Capítulo 9 descreve em detalhes como o processo poderia começar a construção com uma verdadeira universidade para treinar os eco-guerreiros para lutar contra os inimigos da vida. Temos que ter essa educação com a mesma dedicação que Esparta teve ao treinar seus guerreiros. Como em Esparta, essas elites naturais são especialmente treinadas desde a infância para enfrentar os desafios difíceis do nosso tempo “, escreve Shearman.

Shearman descreve sua visão de uma ditadura mundial composto pela elite dominante no planeta, na página 134 de seu livro, “O Desafio da Mudança Climática e o Fracasso da Democracia”.

“O governo, no futuro será baseado em um. . . Escritório Supremo da Biosfera. O escritório terá filósofos e ambientalistas especializados. Esses mentores vão governarse a si mesmos ou um governo autoritário, com conselhos sobre as políticas de formação com base na sensibilidade ecológica e filosófica. Esses representantes são especialmente treinados para a tarefa.”

“Se isto fosse escrito em um blog, o plano provavelmente causaria uma visita da ramo da polícia anti-terrorista”, escreve Haunting no Blog da Biblioteca. “Mas o fato de que ele é um professor de uma grande universidade, que trabalha para o IPCC e foi escrito a pedido de uma instituição acadêmica séria, fundada por ato do Congresso, significa que o autor não precisa temer de nada. Mas o resto de nós deveriamos.”

“Eu poderia continuar citando o livro, mas tenho certeza que você tem a essência do que é aqui proposto: o aquecimento global representa um perigo enorme e imediato para o que a democracia já não funciona, e um governo autoritário orgânico de “elites naturais ” deve ser seu substituto e uma nova religião ecológica pode ajudar a fornecer a “cola social para as atrair as massas.”

Como temos documentado, Shearman não está sozinho em sua chamada pela supressão da liberdade e para que esta seja substituída por uma tirania verde autoritária. Na verdade, esta é uma causa comum adotada por uma série de ativistas e cientistas influentes no tema das mudanças climáticas.

- O ambientalista finlandês e alarmistas do aquecimento global, Pentti Linkola apelou publicamente para que os céticos do aquecimento global sejam “reeducados” em eco-campos de concentracão e a grande maioria dos seres humanos sejam assassinados. O resto resto da população deve ser escravizada e controlada pelo Estado e esterilizada à força, os veículos apreendidos e as viagens restringida, mas não para os membros da elite. Linkola quer que os últimos 100 anos de progresso da humanidade sejam “destruídos”.

- James Lovelock, criador da hipótese Gaia, disse ao jornal The Guardian no ano passado que “a democracia deve ser colocada em espera” para combater o aquecimento global e que “algumas pessoas de autoridade” devem controlar o planeta. (É POR ISSO QUE FICAM BERRANDO AOS QUATRO VENTOS A MENTIRA DO "AQUECIMENTO GLOBAL PROVOCADO PELO HOMEM"!!!)

- Este sentimento foi ecoado por Keith Farnish, escritor e ambientalista, que afirmou num livro recente que ele apoia a sabotagem e o terrorismo ambiental como a demolição das barragens e cidades, a fim de devolver o mundo para a era agrária. O proeminente alarmista do aquecimento global da NASA, Dr. James Hansen, um aliado do Al Gore aprovou o livro escrito pelo Farnish.

- O czar da ciência da Casa Branca, John P. Holdren também defende obscenas práticas ditatoriais, eco-fascistas e desumanas em nome do ambientalismo. Em seu livro Ecoscience, Holdren pede um “sistema tirânico planetário” para realizar abortos forçados e procedimentos de esterilização forçada, bem como drogar o abastecimento de água em uma tentativa de sacrifício humano.

- Outra figura de destaque no debate sobre mudanças climáticas que exemplifica o sistema de crenças violentas é o Dr. Eric R. Pianka, um biólogo americano baseado na Universidade do Texas em Austin. Durante um discurso para a Academia de Ciências do Texas em 2006, Pianka defendeu a necessidade de exterminar 90% da população mundial com o vírus Ebola no ar.

Para uma amostra do que iria viver sob a tirania do Shearman, basta dar uma olhada no vídeo a seguir, que como exploramos em detalhe recentemente, promove a instituição de, literalmente, “cidades prisão”, onde as populações são controladas com sistemas de alta tecnologia, sua comida é racionada e onde o Estado regula todos os aspectos da sua existência e prende aqueles que se recusam a seguir os seus dogmas em ‘guetos miseráveis’.

 

sábado, 15 de janeiro de 2011

LAVAGEM CEREBRAL DE UMA NAÇÃO

A entrevista transcrita abaixo foi realizada em 1985 com um ex-agente subversivo da KGB - principal agência de informação e segurança (serviços secretos) da antiga União Soviética-, Yuri Bezmenov, um dos maiores especialistas em propaganda soviética e em medidas ativas de desinformação.  Ele descreve às quatro etapas usadas para transformar o comportamento e pensamento de uma população inteira ao longo de gerações.

Ele diz que a ênfase principal da KBG não era espionagem, que apenas 15% do tempo, dinheiro e poder eram voltados para espionagem, e que os outros 85% eram voltados a um lento processo chamado subversão ideológica ou medidas ativas ou guerra psicológica. A finalidade deste processo é mudar a percepção de realidade de cada americano a tal ponto que apesar da abundancia de informação ninguém será capaz de chegar a conclusões sensatas do interesse de suas famílias, comunidade, pais ou até mesmo seus próprios interesses.  É um processo muito lento que se divide em quatro estágios básicos.

OS QUATRO ESTÁGIOS DA SUBVERSÃO

1.   DESMORALIZAÇÃO: leva 15 a 20 anos para desmoralizar uma nação.  Porque tantos anos? Porque é o mínimo de tempo requerido para educar uma geração de estudantes pertencente a seu pais inimigo, expondo-os a ideologia inimiga Marxista-leninista, bombeado para dentro da cabecinha susceptível de 3 gerações de estudantes americanos sem ao menos ser contrabalançado com  os valores básicos americanos. O processo de desmoralização nos EUA está basicamente completo. Já faz 25 anos, o sucesso alcançado foi tanto que nem era sonhado pelos especialistas desta área.           

Grande parte desta etapa é realizado por americanos, para americanos graças à falta de padrões morais, e chega um ponto em que já não faz mais diferença ter acesso a informação verdadeira. Uma pessoa desmoralizada é incapaz de acessar informação, os fatos não representam nada para ele, mesmo que ele seja inundado de provas, documentos, informações e fotos, mesmo que seja levado a força para ver os campos de concentração da União Sovietica, ele ainda se recusará a acreditar, até levar um chute em sua bunda. Quando a bota militar esmagá-lo, então ele entenderá, mas não antes disso.

2.  DESESTABILIZAÇÃO: leva apenas 2 a 4 anos. O foco nesta etapa é a economia, relações estrangeiras e sistema de defesa. Pode-se observar que em algumas destas áreas a influencia Marxista-leninista é absolutamente fantástica. Inacreditável!


3.  CRISE: leva até 6 semanas para a crise causar uma violenta mudança de poder, estrutura e economia, o que nos leva à ultima etapa:

4.  NORMALIZAÇÃO (duração: tempo indeterminado) é uma expressão cínica derivada da propaganda soviética. Quando os tanques soviéticos entraram na Tchecoslováquia em 1968 eles disseram: “agora a situação na Tchecoslováquia esta normalizada”. Isso é o que irá acontecer nos EUA se permitirem que a crise chegue. Então irão prometer as pessoas todo tipo de benefícios e o paraíso na terra, irão desestabilizar a economia e eliminar o conceito de livre concorrência de mercado e colocarão o Big Brother no governo de Washington DC com ditadores “benevolentes” que prometerão mundos e fundos sem interesse em cumpri-las.

Nos EUA todos estes professores defensores dos direitos civis são todos instrumentos no processo de subversão, cuja intenção é desestabilizar a nação, uma vez que completarem o trabalho, não terão mais utilidade, pois saberão demais. Alguns irão ficar decepcionados quando virem os Marxista-leninista subirem ao poder, e ficarão ofendidos por terem pensado que eles é que iriam subir ao poder, e é claro que isto nunca acontecerá, eles serão alinhados contra uma parede e fuzilados.  
(fim de trechos da reportagem)

Assista no link abaixo a entrevista completa em inglês:

Você já reparou que nada mais parece estar funcionando... a educação, economia, etc? Esta tudo quebrando, e você sabe o “porquê”. Esta tudo ocorrendo de acordo com os 4 estágios.  

domingo, 9 de janeiro de 2011

George Soros pede a Nova Ordem Mundial

O governo mundial está cada vez mais perto, bem como a moeda única sem a qual ninguém vai poder comprar ou vender. Exatamente como previsto a a mais de 2000 anos.

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Decida por “Livre e Espontânea PRESSÃO"!

Dois reveses para o “aquecimentismo”

O radicalismo ambientalista relacionado às mudanças climáticas sofreu dois duros golpes nos últimos dias (além da neve arrasadora no hemisfério norte!).

O primeiro foi a divulgação de um novo e razoavelmente sóbrio guia sobre o assunto pela venerável Royal Society britânica, em substituição a um documento anterior que enfatizava a suposta responsabilidade humana no fenômeno. O segundo foi a maciça reação contrária a um estarrecedor vídeo de propaganda que sobre emissões de carbono.

Na sexta-feira (01/outubro/2010) a ONG britânica 10:10, que promove uma campanha internacional para a redução de 10% das emissões de carbono por ano, cometeu o que já se apresenta como candidato quase imbatível ao título de tiro no pé da década, ao colocar em seu site um filmete de propaganda da campanha. O problema é que o vídeo de pouco menos de quatro minutos, cujo roteiro foi elaborado pelo célebre cineasta inglês Richard Curtis (de Quatro Casamentos e Um Funeral»), provocou a indignação generalizada em quem o assistiu, ao mostrar os «cruzados do carbono» explodindo pessoas que não aderissem à campanha, após alegarem que não havia pressão alguma (o filmete se chama «No Pressure») para tanto. A cena mais bizarra é a de uma professora secundária que explode dois alunos recalcitrantes, ao apertar um botão, espalhando sangue e pedaços de carne entre os demais alunos.

sábado, 1 de janeiro de 2011

A Silênciosa Guerra Contra a Saúde

O PEIXE MORRE PELA BOCA
 
Por Arlindo Montenegro
 
O corpo é seu. Seu de quem? A referencia aponta um existente "dono" do corpo, um ser intangível, que decide e estimula o cérebro para ativar as conexões neuroniais, musculares... que movimentam a gente pela vida afora. Este ser intangível que está em contato com a energia do universo é conhecido como espírito, alma, a luz, a energia poderosa que, afastada, o corpo em que morou dilui-se na materia.
 
As primeiras escolhas para a alimentação do corpo são decididas pelos pais – desde o leite materno até as papinhas daquela multinacional de alimentos. Será que os pais têm informação suficiente para desenvolver cérebros sadios? Será que todos os pais podem oferecer os alimentos mais saudáveis na infância? Será que os pais sabem como habituar os filhos a alimentar-se para conservar a saúde? Alguns educam a viver para comer qualquer alimento disponível, sem escolhas. E são poucos os que têm consciência e poder aquisitivo para manter uma dieta equilibrada provisionando seus corpos com os aminoácidos essenciais, espalhados em frutos, legumes, grãos e animais defuntos, crus ou cozidos. Mas os cientistas sabem. Os nutricionistas sabem como divulgar e facilitar as escolhas. E muitos erram, porque dentre os humanos que alcançam a longevidade acima dos 100, 110, 120 anos, não figuram os equilibrados habitantes das metrópoles. Relacionam-se comedores de carnes, gorduras e fumantes.
 
Esta é uma área de interesse mortal para os engenheiros sociais que perseguem a morte seletiva e a obediência da boiada, aspectos que interessam ao estado. Isto justifica os ataques do estado aos credos, que preservam e fomentam a fé que fortalece o espírito. Chegamos à educação. E desde a infância nos dizem que o flúor, contido nas águas que chegam as torneiras e nas pastas dentais é um elemento saudável. Sucessivos estudos constatam rigorosamente, que o fluor é uma toxina perigosa que corroi o cérebro e está associado às dificuldades de desenvolvimento intelectual. Isto é, estudos feitos na China e nos EUA, aplicações científicas efetuadas por soviéticos e nazistas entre prisioneiros, todos definem a consciência científica longeva sobre os efeitos do fluor no comportamento, no desenvolvimento de cérebros passivos, conformados, incapazes de reação.
 
 
As medidas de inteligência entre crianças "fluoretadas" ou não, demonstram que a diferença de capacidade intelectiva entre uns e outros é de 350%! Em todo o mundo os governantes e profissionais da saúde, continuam ignorando. A Onu ignora! As verdades sobre o fluor são mantidas na espiral do silêncio. Por quê? Que pais, em sã consciência, colocariam em risco o desenvolvimento intelectual dos filhos?
 
Recentemente virou moda a guerra contra o tabaco que produz cânceres diversos. Tá bom! Existem estudos que demonstram a letalidade de agrotóxicos, que provocam enfermidades sucessivas, comprometendo as defesas organicas e proporcionando uma morte lenta ou lesões mais graves que reduzem a capacidade de trabalho das pessoas, que passam a ser consumidoras vorazes de fármacos, contra males que aparecem como endemias da sociedade moderna.
 
Mas é proibido avançar e proibir o comércio da Monsanto, da Cargill, que promovem o controle de alimentos modificados com aprovação da ONU, que ensaia a imposição do Codex Alimentarius, a política mundial que proibe a liberdade de plantar e colher de acordo com as necessidades e utilizando sementes da mesma produção local.
 
E que dizer da gordura vegetal hidrogenada, das gorduras trasgênicas que entram na composição até da velha e saudável manteiga? Que dizer do aspartame que está presente nos doces, balas, bombons e aquelas gotinhas para adoçar o café e nos onipresentes refrigerantes?
 
O que é de fato prejudicial à saúde, é calado. O tabagismo moderado carrega menos perigo que os produtos tóxicos elaborados por corporações poderosas, presentes na quase totalidade dos alimentos industrializados. Os quimicos-fármacos vendidos como caixas de fósforos, "danificam o DNA e provocam cânceres."
 
Os estudiosos na contra mão das políticas oficiais, lembram que os corantes artificiais utilizados na indústria alimentícia, o nitrito de sódio, o aspartame, os sabonetes anti-bacterianos e dezenas de produtos químicos cancerígenos são comercializados sem qualquer advertência, quando deveriam ser proibidos. A população é mantida desinformada enquanto aumentam as artrites, leucemias, bronquites, canceres... e bronquices programadas, para obscurecer a mente e escravizar os corpos.

Referências: