terça-feira, 31 de agosto de 2010

Drogas psiquiátricas: Um assalto à Condição Humana


Bob Whitaker é o autor do livro: Mad in America: Bad Science,Bad Medicine, and the Enduring Mistreatment of the Mentally  (Loucura na América: Ciência ruim, Medicina ruim, e os
contínuos maus tratos ao doente mental). 
O repórter investigativo Robert Whitaker, autor do impressionante livro MAD IN AMERICA, atualmente está engajado em uma fascinante linha de pesquisa: de que forma a gigantesca indústria de remédios psiquiátricos está colocando em risco a população americana ao encobrir os casos não relatados de sofrimento, angústia e enfermidade originados pelos medicamentos antidepressivos, amplamente prescritos, e os anti-psicóticos.

Whitaker expõe as massivas mentiras e encobrimentos que corromperam os processos de revisão de drogas que são realizados pelo FDA nos Estados Unidos, mostrando como são cooptados os testes de pesquisas com a finalidade de distorcer os resultados desses testes com esses medicamentos. Dessa forma escondem os sérios perigos, mesmo os efeitos colaterais mortais, de produtos com nomes conhecidos como Prozac®, Zoloft®, Aropax® e Zyprexa®.

A história se torna até mais assustadora quando nós olhamos para as táticas agressivas que estas poderosas companhias costumavam silenciar seus críticos proeminentes, difamando-os na  imprensa, e usando seu dinheiro e poder para dispensar cientistas amplamente respeitados e eminentes pesquisadores médicos se
ousarem assinalar os perigos e os riscos de suicídio e morte  prematura causados por tais drogas.

Whitaker começa desconstruindo a exagerada eficiência dessas drogas amplamente divulgadas como medicamentos maravilhosos -antidepressivos como Prozac®, Zoloft® e Aropax®, e as novas drogas antipsicóticas atípicas como o Zyprexa®. Sua pesquisa mostra como eles de um modo geral são escassamente mais efetivos do que placebos no tratamento de desordens mentais e depressão, apesar da ampla adulação que eles recebem na mídia popular.

Porém ele prossegue fazendo mais declarações surpreendentes: estas novas drogas psiquiátricas contribuem diretamente para uma alarmante nova epidemia de doenças mentais induzidas por drogas. Medicamentos popularmente prescritos pelos médicos para estabilizar desordens mentais de fato estão induzindo mudanças
patológicas na química cerebral e levando ao suicídio, a episódios maníacos e psicóticos, convulsões, violência, diabetes, falência pancreática, doenças metabólicas, e morte prematura.

Whitaker originalmente era repórter médico de grande reputação do Aihany Tirnes Union e também atuava para Boston Globe. Uma série que ele co-escreveu para o Boston Globe sobre os perigos da pesquisa em psiquiatria lhe deixou finalista ao Prêmio Pulitzer em 1998. Quando ele começou a sua pesquisa investigativa em temas psiquiátricos, Whitaker ainda era um partidário da história sobre o progresso que a psiquiatria vinha informando ao público nas últimas décadas.

Ele disse, “eu absolutamente acreditava no senso comum de que estas drogas anti-psicóticas realmente melhoraram as coisas e que elas revolucionaram totalmente a forma como nós tratamos a esquizofrenia. As pessoas costumavam ser presas, afastados de suas casas para sempre, e agora talvez as coisas não sejam as
ideais, mas seriam muito melhores. Era uma história de progresso.”

Tal história de progresso era fraudulenta, como Whitaker logo descobriu quando ele adquiriu novos insights a partir de suas pesquisas de práticas psiquiátricas de tortura como eletro-choque, lobotomia, coma por insulina, e drogas neurolépticas. Os psiquiatras informaram ao público que essas técnicas curavam psicose ao
equilibrar a química do cérebro.

Mas, na realidade, a linha comum em todos estes diversos tratamentos foi a tentativa de suprimir a “doença mental” ao prejudicar deliberada mente as funções mais elevadas do cérebro. A atordoante verdade é essa, atrás de portas fechadas, o próprio stablishment psiquiátrico etiquetou estes tratamentos como “terapêutica prejudicial ao cérebro.”

A primeira geração de drogas anti-psicóticas criaram uma patologia droga-induzida no cérebro ao bloquear um neurotransmissor, a dopamina, em essência obstruindo muitas funções cerebrais elevadas. De fato, quando os anti-psicóticos como a clorpromazina e o halo pendo! foram inicia/mente introduzidos, os próprios
psiquiatras disseram que estas drogas neurolépticas eram virtualmente indistinguíveis de uma lobotomia química.

Em anos recentes, a mídia tem alardeado a chegada de medicamentos de design especial como Prozac®, Aropax® e Zyprexa®, que deverão ser superiores e ter menos efeitos colaterais que os antigos antidepressivos tricíclicos e os primeiros anti-psicóticos. Os milhões de americanos que acreditaram nesta
história têm enriquecido companhias farmacêuticas como a Eh LiIIy ao gastar bilhões de dólares anualmente comprando estes novos medicamentos.

A pesquisa do Whitaker nos casos trágicos de doença, sofrimento e as primeiras mortes causadas por tais drogas mostram que esses milhões de consumidores foram enganados por uma gigantesca campanha de mentiras, distorções, e pesquisas de remédios forjadas. Eminentes pesquisadores médicos que tentaram nos
advertir dos perigos destas drogas foram silenciados, intimidados e difamados.


 Clique aqui para ler o resto deste artigo

sábado, 28 de agosto de 2010

CIA causa alucinações com LSD?

Mike Thomson
25 de agosto, 2010

Da BBC News

Há cerca de 60 anos atrás, uma pequena cidade francesa foi assolada por uma onda repentina de alucinações que deixou cinco pessoas mortas e muitas seriamente doentes. Durante anos, os incidentes foram atribuídos a uma contaminação por um fungo alucinógeno em uma das padarias da cidade, mas essa teoria agora é questionada pelo repórter investigativo americano Hank Albarelli.

Albarelli defende a tese de que o episódio ocorrido na cidade francesa de Pont-Saint-Esprit foi, na verdade, parte de uma série de experimentos conduzidos por cientistas da CIA com a droga LSD. A versão do jornalista, no entanto, é contestada pelo acadêmico americano Steven Kaplan. Ele argumenta que os sintomas apresentados na época eram parecidos, mas não exatamente iguais aos provocados pelo LSD. Por outro lado, o acadêmico - que publicou um livro sobre os acontecimentos em Pont-Saint-Esprit intitulado Le Pain Maudit ("O Pão Maldito", em tradução livre) - diz que a hipótese de contaminação por fungo também não se sustenta. Tanto Albarelli como Kaplan concordam que o governo francês deveria investigar o assunto.

"O Pão Maldito"

Em um dos casos de Pont-Saint-Esprit, ocorrido no dia 16 de agosto de 1951, o carteiro Leon Armunier entregava suas correspondências quando sofreu uma crise de náusea e violentas alucinações. "Foi terrível", diz Armunier. "Tive a sensação de que estava encolhendo, encolhendo, enquanto labaredas e serpentes se enrolavam nos meus braços". O carteiro, hoje com 87 anos, caiu da bicicleta e foi levado a um hospital na cidade vizinha de Avignon, onde ficou internado.

Em suas investigações, o jornalista Hank Albarelli diz ter encontrado um documento da CIA identificado com frases em inglês em linguagem codificada. Termos como "Pont-Saint-Esprit and F.Olson Files" (Arquivos Pont-Saint-Esprit e F. Olson), "France Operation" (Operação França) e a frase "Hand carry to Belin - tell him to see to it that these are buried" (Entregue em mãos a Belin - diga a ele que tome providências para que isso seja enterrado) teriam oferecido ao jornalista as informações que ele procurava. Albarelli diz que F. Olson é Frank Olson, um cientista da CIA que, na época do incidente em Sain-Esprit, liderava as pesquisas da CIA sobre o LSD. Belin seria David Belin, diretor-executivo da Rockefeller Commission, criada pela Casa Branca em 1975 para investigar abusos cometidos pela CIA em todo o mundo.

O jornalista americano avalia que os arquivos intitulados Pont-Saint-Esprit e F. Olson, mencionados no documento, revelariam - se não tivessem sido "enterrados" - que a CIA estava fazendo um experimento com os moradores da cidade, dando a eles doses de LSD. No período dos casos de alucinação, médicos concluíram que uma das padarias da cidade, a Roch Briand, teria sido a fonte do envenenamento. Hank Albarelli diz considerar possível que o LSD tenha sido colocado no pão.

Hoje, sabe-se que cientistas que pesquisavam armas biológicas em todo o mundo estavam realizando experiências com LSD no início da década de 1950, época de conflito na então Coreia e de um aumento nas tensões da Guerra Fria. Albarelli diz ter encontrado um relatório secreto escrito em 1949 pelo diretor de pesquisas do Edgewood Arsenal, uma instalação militar onde foram realizadas muitas das experiências do governo americano com LSD. No documento, o diretor diz que o Exército deveria fazer todo o possível para lançar "experimentos de campo" com a droga.

O jornalista diz ter obtido também um outro relatório da CIA, escrito em 1954, em que um agente descreve uma conversa com um representante da indústria química Sandoz Chemical, na Suíça. A sede da Sandoz, situada a poucos quilômetros de Pont Saint-Esprit, era o único lugar onde o LSD era produzido naquela época, segundo Albarelli. No documento, o agente relata que, após vários drinques, o representante da Sandoz disse repentinamente: "O segredo de Pont-Saint-Esprit é que não foi o pão... não foi grão de esporão do centeio". O esporão do centeio (Claviceps purpurea) é um fungo parasita com propriedades alucinógenas que ataca os grãos de centeio.




Nesse ponto, o acadêmico Steven Kaplan - que discorda de Hank Albarelli - está de acordo com o representante da Sandoz. Para ele, a teoria do fungo não procede, já que a contaminação não poderia ter afetado apenas um saco de grãos em uma padaria. Segundo o acadêmico, ela teria se alastrado por uma área maior. Ao descartar a hipótese de envenenamento por LSD, Kaplan afirma que não apenas os sintomas seriam um pouco diferentes, como também a droga não teria sobrevivido às altas temperaturas no forno da padaria. Albarelli, por sua vez, argumenta que o LSD poderia ter sido adicionado ao pão depois de assado.

QUANTOS TESTES E MANIPULAÇÕES FAZEM HOJE CONOSCO, SEM QUE A GENTE DESCONFIE?

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Cristais quebrados

Não é necessário ser profeta, para revelar antecipadamente o que será o ano eleitoral de 2010. Ou existe alguém com tamanha ingenuidade para acreditar que o "fascismo galopante" que aparelhou o estado brasileiro, vá, pacificamente, entregar a um outro presidente, que não seja do esquema lulista, os cargos, as benesses, os fundos de pensão, o nepotismo, enfim, a mais deslavada corrupção jamais vista no Brasil?

Lula, já declarou, que "2010 vai pegar fogo!". Entenda-se por mais esta delicadeza gramatical, golpes abaixo da cintura: dossiês falsos, PCC: "em rebelião", MST convulsionando o país...

Que a lei de Godwin me perdoe - - mas assistiremos em versão tupiniquim, a Kristallnacht, A Noite dos Cristais que marcou em 1938 o trágico início do nazismo na Alemanha. E os "judeus" serão todos os democratas, os meios de comunicação não cooptados (verificar mais uma tentativa de cercear a liberdade de expressão no país: em texto aprovado pelo diretório nacional do PT, é proposto o controle público dos meios de comunicação e mecanismos de sanção à imprensa). Tudo isso para a perpetuação no poder de um partido que traiu um discurso de ética e moralidade ao longo de mais de 25 anos e, gradativamente, impõe ao país um assustador viés autoritário.

Não se surpreendam: há todo um lobyy nacional e internacional visando a manutenção de Lula no poder. Prêmios, como por exemplo, o Chatham House, em Londres, que contou com "patrocínios" de estatais como, Petrobrás, BNDS e Banco do Brasil, sem, até agora uma explicação convincente por parte dos "patrocinadores"; matérias em revistas estrangeiras, enaltecendo o "mantenedor da estabilidade na América Latina". Ou seja: a montagem virtual de um grande estadista... Na verdade, Lula é o übermensch dos especuladores que lucram como "nunca na história deste país".

Sendo assim, quem, em perfeito juízo, pode supor que este ególatra passará, democraticamente a faixa presidencial, para, por exemplo, José Serra, ou mesmo, Aécio Neves? Pelo que já vimos de "inaugurações" de obras que sequer foram iniciadas, de desrespeito às leis eleitorais, do boicote às CPIs, como o da Petrobás, do MST e tantos outros "deslizes", temos o suficiente para imaginar o que será a "disputa" eleitoral em 2010. Confiram.

sábado, 21 de agosto de 2010

Educação universal compulsória;

A onu, através de suas inúmeras agências, tem aplicado 12 princípios sociais revelados por Baha’u’llah em escala mundial para unificar a humanidade. Para que todos se curvem a essa estratégia de unificação as áreas: Social, Política, economia e religiosa (principalmente cristãos desatentos) tem obedecido esses ensinamentos durante séculos. Um deles é a Educação Universal Compulsória

Esse é um dos princípios de maior destaque na nova ordem mundial. A ordem da educação universal para os governantes foi escrita por Baha’u’llah na epistola abaixo:
“Diz o Grande Ser: Considerai o homem como uma mina rica em jóias de inestimável valor. A educação, tão somente, pode fazê-la revelar seus tesouros e habitar a humanidade a tirar dela algum…” LAWH-I-MAQSÚD (Epístola de Maqsúd)

O clamor de Baha’’u’llah para os governantes da terra abriu passagem não só para a educação compulsória, mas para todo o sistema educacional que vai do berçário a faculdade, ou seja,a manipulação educacional do berço a sepultura.

Entende-se por educação compulsória a imposição do governo no sistema educacional  sobre o currículo escolar que raramente segue algum princípio cristão. Podemos citar  como exemplo os  ensinamentos da unidade da diversidade que é a implantação da agenda terrível e assustadora agenda gay para as crianças.
A diversidade sexual não se limita  apenas ao respeito pelos homossexuais, mas também ao ensinamento de que a depravação é algo normal; por exemplo: Na cartilha da diversidade sexual do MEC, o movimento gay vê apenas como uma manifestação de carinho um beijo na boca entre duas crianças.

Já a  educação continuada abriu caminho para a perpetuação da burrice na sala de aula. Com o slogan: “nunca é cedo ou tarde demais para se aprender”, esse sistema educacional se tornou relativo, pois se um jovem chega aos 18 anos semi-analfabeto e poderá ficar a vida toda tentando ser alfabetizado; afinal..”nunca é tarde”, segundo esse conceito.

A educação também faz parte das metas do milênio da ONU e o estudo exigido está de acordo com a educação continuada, pois ao exigir apenas a alfabetização, o globalistas acreditam que a manipulação do cidadão global será bem mais fácil.

A socialização do cidadão global pode ser vista nos ensinamentos de Paulo Freire e muitos outros, apesar desse  trabalhar com o mínimo de palavras e a máxima polivalência fonêmica na alfabetização; a base marxista de Freire prepara o cidadão para uma  vida comunitária.

Por exemplo: uma das  bases da ordem mundial comunitária está na agricultura e por isso o papel do educador é levar o camponês a escolher entre uma antítese ou tese de um conflito, mas que através da síntese pré-fabricada pela nova ordem mundial resulta em uma cooperação mútua. Isso encontra-se no trecho abaixo extraído do livro: Ação cultural para a liberdade de Paulo Freire:
“…Finalmente, a ação cultural como a entendemos não pode, de um lado, sobrepor-se à visão do mundo dos camponeses e invadí-los culturalmente; de outro, adaptar-se a ela. Pelo contrário, a tarefa que ela coloca ao educador é a de, partindo daquela visão, tomada como um problema, exercer, com os camponeses, uma volta crítica sobre ela, de que resulte sua inserção, cada vez mais lúcida, na realidade em transformação…”

O monopólio da Educação encontra-se em poder do Grupo inglês editoral Pearson que por uma incrível coincidência pertence ao mesmo pais de onde surgirá o executivo mundial de Baha’u’llah
Grupo editoral Pearson compra parte de empresa brasileira de educação
“…O grupo editorial britânico Pearson fechou a compra do sistema de ensino e de parte dos ativos do SEB (Sistema Educacional Brasileiro) por R$ 888 milhões, mais do que dobrando o tamanho de seus negócios em educação no Brasil.A transação ocorre em meio à consolidação no setor privado educacional brasileiro, com grupos apostando no ingresso de mais estudantes no ensino superior, graças ao aumento da renda média da população e uma demanda cada vez maior por mão de obra qualificada no país…”

E por último, temos a manipulação através da mídia globalizada promovendo a mudança de comportamento no cidadão global. Os alicerces da educação global estão focalizados nas metas do milênio e Agenda 21.Existem vários objetivos para alcançar essa meta que são:
1) O uso de tecnologia de ponta como: Internet, Tecnologia 3D em filmes de cinema, uso das tele-telas em transporte coletivo,  mensagens em celulares,  participação das emissoras de televisão fixa ou móvel em celular (jornais, novelas, futebol e debates)  entre outros.
2) O uso de idiotas úteis. Para isso a ONU conta com a industria dos famosos em todo o mundo. Aqui no Brasil, temos; por exemplo, um péssimo programa chamado TV Fama na Rede TV que investe no seguimento de famosos.
Personalidades famosas “emprestam” a sua imagem para ONU na forma de embaixadores da boa vontade. A lista é enorme e Possi famosos como: A top número 1 Gisele, o jogador Kaká, Renato Aragão, Camila Pitanga,  Paulo Coelho, atores do cinema e da música internacional como Nicolas Cage e muitos outros.
Todo esse processo de educação está criando a sociedade descrita em 2 Timóteo capítulo 3 (1-9).
Obs. Para que tudo fique de acordo com a nova ordem mundial de Baha’u’llah, o ensino fundamental passou a ter nove anos.
Referências:
http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=290&Itemid=816
http://www2.uol.com.br/aprendiz/n_colunas/g_piolla/id170701.htm
http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=5799&catid=180:pos-graduacao&Itemid=86

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Vida de gado, Povo marcado, Povo feliz...

Carlos Reis | 04 Abril 2010


Esqualeno, mercúrio (timerosal), formaldeído e Triton X 110: substâncias tóxicas estão presentes nas vacinas a serem aplicadas na população brasileira. Em todo o mundo, há polêmicas, pesquisas, e processos contra a indústria farmacêutica. No Brasil, nada! A classe médica, o governo e a imprensa simplesmente desconversam e se omitem.


"Dietas, injeções, e injunções se combinarão, desde a mais tenra idade, para produzir o tipo de caráter e o tipo de crença que as autoridades consideram desejáveis, e qualquer crítica séria a esses poderes tornar-se-á psicologicamente impossível. Mesmo se todos forem miseráveis, todos se acreditarão felizes porque os governos assim lhes dizem que são". - - Bertrand Russell, O Impacto da Ciência Sobre a Sociedade, pg 50, 1953


A questão da vacinação contra o vírus A H1N1 é controversa no mundo todo. Pelo menos para aqueles que têm o mínimo de informação. Mas aqui no Brasil o assunto não existe, a questão é vazia, o silêncio unânime. Ou quase. São poucas as ovelhas que berram e muitos os lobos que salivam. Salivam duplamente, porquanto continuam à solta, vacinando obsessivamente e faturando alto no mercado internacional e nacional da vaidade e do poder.


Eu dividiria a questão em quatro partes, segundo as informações que disponho. Nesses últimos dias ficou-se se sabendo que uma instância da ONG européia a Council of Europe, a PACE (Parliamentary Assembly Council of Europe), uma espécie de concorrente alternativa à União Européia, esta sob domínio da Nova Ordem Mundial e suas instituições (ONU, União Européia, Council on Foreign Relations (CFR), Club Bilderberg, etc.), está oferecendo uma denúncia articulada contra a Organização Mundial de Saúde. Argumenta essa instituição européia que a OMS agiu e age de forma precipitada a levantar suspeitas na questão da vacinação contra o vírus A H1N1.


A PACE congrega 43 países membros e não pode ser desprezada, embora a inegável posição ideológica de seus membros ao defender causas da esquerda européia. Tal ONG, entretanto, é muito mais lúcida e sadia do que suas contrapartes tupiniquins que pretendem as mesmas "transformações sociais" sem contar com meios fascistas de implementá-las ou apelar à desinformação turbinada por uma imprensa inconseqüente. Uma de suas causas é o combate e a denúncia da indústria farmacêutica, seus lucros indecentes e métodos reprováveis.

OMS: Onze dos seus vinte membros, são representantes da indústria


No caso em questão da vacinação a PACE denuncia o conflito de interesses entre a OMS e o Big Pharma. Quase ninguém sabe no Brasil que a OMS é orientada por um comitê muito seleto, chamado SAGE (sábio, em inglês), Strategic Advisory Group of Experts, que orienta as ações da OMS e é por ela composto por livre e irrecorrível nomeação. Onze dos seus vinte membros, no entanto, são representantes da indústria. A PACE denuncia então o conflito de interesses de seus membros, muitos ligados formalmente a empresas farmacêuticas. Quanto aos lucros, transparece claramente as vantagens de tal associação. A SANOFI-AVENTIS, por exemplo, subiu seu faturamento em 11% em época de pandemia, "no ano record de 2009", e que conforme seus registros amealhou 7,8 bilhões de euros. Segundo Paul Flynn, o deputado socialista da PACE que faz a denúncia, esses membros agem de acordo com os interesses da indústria, influindo assim em decisões importantes como a da classificação de pandemias. Isso explicaria a elevação de categorias de 1 a 6, o caso da H1N1, como aconteceu em junho de 2009. Tal decisão viciada na origem desencadeou uma onda vacinal nos países membros da OMS, por intermédio dos respectivos governos. Até o governo brasileiro poderia alegar que cumpria ordens caso em que ele fosse acionado ou responsabilizado. Mas, make no mistake, é mais fácil um camelo entrar em um buraco de agulha.


Nesta primeira parte está a questão do poder, do conflito de interesses entre a OMS e governos, com a indústria farmacêutica, tornado possível pela alteração de critérios por parte da OMS na decretação de pandemias. É quase consenso no mundo todo entre cientistas não comprometidos pelo Big Pharma e livres de compromissos políticos e econômicos com governos, que essa "pandemia" foi no mínimo exagerada, que a doença em si não necessitava tanto gasto e tanta ansiedade. Assim se manifestou o Dr. Marc Lipsitch da Harvard University em http://inform.com/health/swine-flu-outbreak-severe-feared-study-770673a, médico insuspeito porquanto é um dos defensores da vacinação segura. Ele não discute a utilidade e a necessidade da vacinação, desde que conforme com os padrões há muito estabelecidos.


O fato é que gerou-se medo na população mundial, mesmo em países esclarecidos e ainda democráticos, onde existe o dissenso e inexiste a intimidação fascista insuflada por uma imprensa tão dócil quanto "companheira", o caso brasileiro por excelência. Em alguns países, notadamente na Polônia, houve uma reação radical: não há campanha vacinal por iniciativa do próprio governo polaco. Pelo contrário, investiga-se criminalmente algumas indústrias farmacêuticas por práticas irresponsáveis e danosas à saúde pública.



O Brasil é o segundo ponto. Aqui não há debate. Não há grupos organizados. O silêncio de todas as partes envolvidas é total. Quase todos os médicos quando sabem alguma coisa, ou ouviram falar em algo, se evadem do problema, comportando-se como inocentes úteis, fenômeno bem conhecido na ascensão do socialismo no país. A maioria esmagadora ignora por completo tudo e há muito tempo. Assim é também em outras questões onde o vínculo e a unidade de orientações nem nos deixa saber o que é Educação e o que é Saúde, esferas confundidas em torno de um projeto socialista de poder. Estarei sendo antiético nessa declaração? O governo faz o que quer. Não presta contas e ninguém pede para saber. O Congresso é ausente completo. Ninguém sabe nada, quanto custa, quanto se gasta, como se gasta. Concomitantemente a população é aterrorizada pela grande imprensa, parecendo ser acionada por controle remoto do Planalto e adjacências. Neste instante, outono, a mídia já criou o medo para o inverno de 2010. Repete a histeria do ano passado. Pergunto se a ausência de qualquer reação organizada não é sinal patognomônico (sinal claro, específico e inequívoco), de grave alienação social e profissional. A ausência de reação é um claro sinal de paralisante dissonância cognitiva. Por isso não adianta diante dessa anormalidade censurar a voz isolada, a fraca voz da ovelha, seu último méée. Quem faz isso é fascista, ou idiota útil na classificação de Lênin.


O terceiro ponto que quero abordar é o da confusão incompetente da Saúde Pública do Brasil e seus órgãos inflamados, inchados de soberba e dinheiro. Com as mãos livres publicam desmentidos mentirosos contras as fracas vozes; atrapalham-se freqüentemente voltando atrás em ordens de procedimentos, tornando claro assim a pressa gananciosa, a ânsia de parecerem heróis salvadores para um problema que eles mesmos e seus associados internacionais criaram. Regras, bulas e protocolos são violados impiedosamente para o maior risco da população, e quem ousa denunciar a trapalhada é tachado de terrorista e produtor de pânico entre a população. Protegidos pela mídia cúmplice fabricam estatísticas auto-elogiosas, como a do primeiro de abril, em que o IBGE afirmou que a "Saúde melhorou muito desde 2003". Que coincidência, ano de início do governo Lula! Chegaram ao cúmulo cínico de afirmar que o "povo brasileiro agora se interna menos em hospitais porque tem mais consciência", e não porque não há hospitais e leitos suficientes para 185 milhões de brasileiros. Mentiras assim e auto-propagandas como essas não são sem fundamento - elas ocorrem no momento da criação do pânico fazendo o povo acreditar que eles estão corretíssimos, e em especial no caso da campanha vacinal da moda. E tudo isso em um ano eleitoral. Aqui a epígrafe acima é exemplar. Lembrem musicalmente agora o título do artigo: "E, eô, vida de gado, povo marcado. Ê, povo feliz". (Admirável Gado Novo, Zé Ramalho)


Por fim, a questão mais importante. Os tóxicos produtores de doenças terríveis presentes nas vacinas do povo "marcado". Observem o silêncio quanto ao esqualeno do Instituto Butantã, segredo bem guardado traído inadvertidamente pelo Jornal Nacional de 16/03. http://jornalnacional.globo.com/Telejornais/JN/0,,MUL1532456-10406,00-TIRE+SUAS+DUVIDAS+SOBRE+VACINA+DA+GRIPE+HN.html.



 O esqualeno é temido nos Estados Unidos, traumatizados com 8 mil mortos na Guerra do Golfo e muitos mais inválidos. O outro tóxico é o mercúrio, que está presente sim na vacina da SANOFI, e ele produz autismo. As provas são incontáveis. Os trabalhos são indesmentíveis. No Brasil? Não, no Brasil não! O Brasil está estéril. Experimentem pedir dinheiro (grant) institucional para pesquisas sobre o esqualeno. O país está mergulhado em um assustador obscurantismo intelectual, cultural, científico e moral. Só existe dinheiro para puxa-sacos alinhados aos governos de patrocinadores interessados.


Vejam a relação de pesquisas no exterior sobre o assunto:

1) Both Presidential Candidates
2) Director of the CDC
3) Former head of the NIH and American Red Cross
4) Chair of the U.S. House Science Subcommittee on Investigations
5) Dr. Jon Poling, Pediatric Neurologist
6) HHS Vaccine Safety Working Group
7) CDC Vaccine Safety Research Agenda
8) Medical personnel at HHS Vaccine Injury Compensation Program
9) Members of the Strategic Planning Workgroup of the IAC Committee
10) Clinical Immunization Safety Assessment Network - CISA
11) Autism researchers at Johns Hopkins University Medical School
12) America's health insurance companies
13) Autism Speaks
14) The United Mitochondrial Disease Foundation
15) Dr. Peter Fletcher, former Chief Scientific Officer at the UK Department of Health


Na Inglaterra há processos contra o presidente de uma instituição equivalente ao nosso Conselho Federal de Medicina, David Salisbury, um dos "sábios" mais influentes do big pharma por envolvimento e acobertamento de casos criminosos. Lá os casos de autismo produzidos pelo mercúrio (thimerosal, que o porta-voz tupiniquim ousou negar presente na vacina) das vacinas se arrastam nos tribunais. Cito no original (origem abaixo nas referências):



Thimerosal-containing vaccines are a major causal factor in autism. Thimerosal in vaccines has been, and still is, a major causal factor that underlies most diagnoses of an autism spectrum disorder as well as many other developmental and childhood disorders, In addition, there is evidence that MMR vaccine is a causal factor in some cases where a child is subsequently diagnosed with regressive autism.


A reação do lobby criminoso farmacêutico às denúncias do Council of Europe foram dramáticas. Se perderem as causas os laboratórios terão que pagar indenizações bilionárias às suas vítimas. É para evitar essa possibilidade que a "Ministra" da Saúde Kethleen Sibelius do governo Obama criou um decreto no ano passado proibindo ações judiciais contra as indústrias. Por que seria? A quem aproveitaria? Diante disso, nos EUA organizou-se rapidamente uma defesa contra esse ato fascista o que levou a alguns exageros. O governo brasileiro oportunísticamente se agarrou a esses exageros, desviando o foco da questão. Mas exagero é sustentar uma condição de pandemia, contrária a todos os fatos e números. Mas quem começou o terror? Quem tiver que responder a essa questão terá que levar em conta quem começou primeiro a infundir pânico na população.


Por outro lado, no início de tudo está a implicação que esse vírus foi fabricado nos mesmos laboratórios que fabricam vacinas. E isso ocorre há anos. É exemplar disso a patente da vacina da Baxter com data anterior à existência do vírus A H1N1 (vejam nas notas o arquivo pdf Baxter Vaccine Patent Application).


Voltando ao Brasil, a vacina brasileira contém, além disso, formaldeido e Triton X 100, compostos usados na indústria metal-mecânica, metalúrgica, e que não podem passar por inofensivos estabilizadores ou detergentes surfactantes. Isso nunca é discutido no Brasil. Atemorizada, a universidade brasileira é 100% omissa. Ignorante, a minha classe profissional se aliena dolorosamente. Não sabe e tem raiva de quem sabe. A única energia que tem é para perfilar-se do lado oficial, para garantir-se nos cargos, funções, sinecuras, e atacar quem, mesmo sem a acuidade técnica, ou a titulação que o governo do presidente semi-analfabeto dá tanta importância, mas com o cuidado com o princípio do no harm, esquecido pelo governo brasileiro, busca proteger e informar a população vítima. Por isso é sempre mais fácil caçar bruxas, censurar médicos, intimidar funcionários subalternos na cadeia vertical interminável de incompetência e irresponsabilidade. Querem vacinar-nos? Então nos entreguem vacinas mais seguras.


* O Autor é médico


REFERÊNCIAS PARA LEITURA - (EM INGLÊS)

sobre:

Council of Europe

http://www.coe.int/

Conflito de interesses

http://lavozdigital.xlsemanal.com/web/articulo_complementarios.php?id_edicion=4887&id_articulo=52218&id=24009&p=magazine

http://assembly.coe.int/CommitteeDocs/2010/20100329_MemorandumPandemie_E.pdf

http://www.thepharmaletter.com/file/94adf43b8f4e0eb51d5c6629542f5678/swine-flu-the-next-time-someone-cries-wolf-on-a-pandemic-it-will-not-be-taken-seriously.html

Descrédito da OMS
http://www.globalresearch.ca/index.php?context=va&aid=13856

The WHO Plays with Pandemic Fire

The Continuing Saga of the Flying Pigs Pandemic Flu

by F. William Engdahl

As vacinas são mais mortais do que gripe suína
by Dr. Mae-Wan Ho and Prof. Joe Cummins

http://www.globalresearch.ca/index.php?context=va&aid=14869

Bioterrorism and Biological Warfare Agents

Prof. Garth L. Nicolson
The Institute for Molecular Medicine
Huntington Beach, California 92649

http://www.immed.org/illness/bioterrorism.html

http://www.projectdaylily.com/

http://www2.xlibris.com/bookstore/book_excerpt.asp?bookid=27692

Doenças Autoimunes

http://www.autoimmune.com/GWSGen.html

ESQUALENO

FDA Tests Find Squalene in Anthrax Vaccine

Government Admits Banned Substance Exists in Vaccines, but Maintains It Does No Harm

http://www.dynamicchiropractic.com/mpacms/dc/article.php?id=31995

Autoimmune Technologies news release dated July 15, 2002.

FORMALDEIDO

Formaldeido e o Risco de Câncer National Cancer Institute

www.cancer.gov/cancertopics/factsheet/Risk/formaldehyde

BAXTER

http://www.theoneclickgroup.co.uk/documents/vaccines/Baxter%20Vaccine%20Patent%20Application.pdf

AUTISMO (e doenças do seu espectro) e o MERCÚRIO (timerosal)

http://www.whale.to/vaccines/kirby4.html

Antigo cientista-chefe inglês diz: Vacinas causam autismo. Que mais evidências são necessárias?

Etil-metilmercúrio

http://www.helpyourautisticchildblog.com/autism-news/419-ethyl-mercury-methyl-mercury-and-autism-ties/

http://www.whale.to/vaccines/ethyl_vs_methyl.html

VACINAS DTP E MMR

http://www.mercury-freedrugs.org/,

www.whale.to/vaccines/vax_autism_q.html

http://www.whale.to/vaccines/goldman_h.html

http://www.whale.to/vaccine/pragnell1.html

Journal of Child Neurology, Vol. 22, No. 11, 1308-1311 (2007)

DOI: 10.1177/0883073807307111

Níveis no sangue de mercúrio estão relacionados ao diagnóstico de autismo. Re-análise de importante conjunto de dados

http://jcn.sagepub.com/cgi/content/abstract/22/11/1308

Vaccine autism quotes

(citações de cientistas sobre autismo vacinal)

http://www.whale.to/vaccine/king.html

Realidades chave acerca do autismo, vacinas, compensação de danos das vacinas e pesquisa relacionada ao timerosal no autismo. LINK riquíssimo embora extenso.
Vaccine critics & studies/sites on vaccine autism link

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Eleições no Brasil: uma piada!


Um revolucionário bolchevista estava falando de cima de um caixote para uma pequena multidão em Times Square, NY. Após descrever as maravilhas do socialismo e do comunismo, ele disse: "- A revolução virá, e todos comerão pêssegos em calda com creme de leite." Um velhinho que estava na parte de trás da multidão gritou: "- Eu não gosto de pêssegos em calda com creme de leite." O bolchevista refletiu por alguns instantes e então respondeu: "- A revolução virá, camarada, e você aprenderá a gostar de pêssegos em calda com creme de leite." - - Autor desconhecido, contada por G. Edward Griffin

Uma velha piada de marujos ingleses tambem cabe à perfeição para as próximas eleições. Traduzida, ela perde um pouco do sabor do humor britânico, mas vá lá:

Navegavam há meses e os marujos não tomavam banho nem trocavam de roupa, nada de novo na Marinha Mercante britânica. O navio fedia! O Capitão chama o Imediato e diz - Mr. Simpson, o navio fede, mande os homens trocarem de roupa! - Responde o Imediato: Aye, Aye, Sir, e parte para reunir os seus homens e diz: - Sailors, o Capitão está se queixando do fedor e manda vocês trocarem de roupa. David troque a camisa com John, John troque a sua com Peter, Peter troque a sua com Alfred, Alfred troque a sua com Jonathan, e assim prosseguiu. Quando todos tinham feito as devidas trocas dirige-se ao Capitão e diz - Sir, todos já trocaram de roupa. O Capitão, visivelmente aliviado manda prosseguir a viagem.

É isto que se repetirá no próximo outubro: a política brasileira fede! E nada vai mudar de verdade, apenas trocarão a roupa uns com os outros. E assim sempre foi, desde a 'redemocratização' que somos chamados - - chamados não, obrigados por lei do voto obrigatório - - a referendar qual dos idênticos entre si vai nos governar.


quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Lula Justifica o Mal

iraniana-sakineh-mohammadi-ashtiani
  'Sua proposta não se baseia na caridade. Lula quer é ajudar o seu amigo ditador'

O título parece nome de filme iraniano? Não deixa de ser. No caso, um filme de terror que se realiza lá e uma tragicomédia que se vive aqui. No Irã, a protagonista é Sakineh Mohammadi Ashtiani (foto), acusada de adultério e condenada a morte por apedrejamento — já recebeu 99 chibatadas. No Brasil, o ator principal é Luiz Inácio Lula da Silva, capacho de ditaduras em que trogloditas de todo o mundo tentam limpar suas patas sujas de sangue em nome da autodeterminação dos povos. Há um movimento mundial em favor da libertação de Sakineh. Ao clamor mundial, Lula responde ora com estupidez, ora com chacota falsamente caridosa, que mal disfarça o endosso à tirania iraniana e, acreditem!, o apedrejamento simbólico da vítima. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva é aprovado por quase 80% dos brasileiros? Estou me lixando pra isso. Revela-se, a cada dia, um monstro moral. Quando e se ele bater nos 100%, vocês me avisem: pretendo ser o traço estatístico a lhe dizer: “NÃO!!!”
Mesmo quando parece aquiescer com as noções básicas de justiça, Lula chafurda no pântano da justificação do mal, da impostura, da vilania ética e da ilegalidade. Este senhor, com efeito, é uma personagem inaugural: nunca antes na história destepaiz a estupidez foi tão bonachona, a burrice tão aclamada, a prepotência tão “autêntica”. Lula é a expressão do bom selvagem de Rousseau — uma formulação já originalmente cretina de um cretino “castelão e vagabundo” (by Fernando Pessoa) — filtrado pelo sindicalismo oportunista e pelo stalinismo do petismo casca-grossa. 

No sábado, durante um comício em favor da candidatura de Dilma Rousseff à Presidência, o Babalorixá de Banânia resolveu oferecer a sua ajuda a Sakineh nestes termos:
“Se vale a minha amizade e o carinho que eu tenho pelo presidente do Irã e o povo iraniano, se essa mulher está causando incômodo, a receberíamos no Brasil de bom grado”.
Notem que a vítima aparece como aquela que “está causando incômodo”. Mahmoud Ahmadinejad, que manda enforcar opositores em praça pública, pendurados em guindastes — como se vê na foto abaixo —, merece a “amizade” e o “carinho” de Lula. Mas isso ainda é pouco.
ira-enforcamentos1

O presidente brasileiro não está se oferecendo para receber a iraniana condenada ao apedrejamento em nome da civilidade, dos direitos humanos ou mesmo da caridade. Ele se propõe a resolver um “incômodo” de seu amigo Ahmadinejad. Entende-se que a oferta busca honrar aquela “amizade” e aquele “carinho”. Não é que ele ache a pena, em si mesma, brutal ou injusta. Lula, em suma, justifica o mal.

A impiedade de sua oferta — e nisso está sua impostura — se revela na seqüência de sua fala, quando confessa, em seu português exótico, cujo sentido se presume, ter traído Marisa Letícia: 
“Fico imaginando se um dia tivesse um país do mundo que se o homem trair fosse apedrejado. Eu queria saber quem é que ia gritar: ‘Atire a primeira pedra iá iá aquele que não traiu’”.
Ele cantarolou. Os presentes riram. Lula é a face risonha da morte. Lula é a versão galhofeira das tiranias. Lula é o clown da violência institucional. No fim das contas, oferece o Brasil como abrigo inferindo que esta é uma boa terra para adúlteros, não para vítimas de ditaduras. Bem, os boxeadores cubanos que o digam. Lula os jogou no colo de Fidel Castro. Tudo compatível com o pensador que comparou os protestos contra a fraude eleitoral no Irã a torcedores descontentes porque seu time perdeu o jogo.  Lula atinge o grotesco quando cantarola “atire a primeira pedra” referindo-se justamente a a uma mulher condenada ao apedrejamento.  Eis o vilão ético.
E, por espantoso que pareça, Lula também transgrediu abertamente a lei ao fazer, num palanque eleitoral, uma oferta que diz respeito ao que seria um ato de governo. Sua propensão à ilegalidade é incurável.
Mãos sujasO Babalorixá já havia lavado as mãos nesse caso — sujando-as, como de hábito, no sangue de todas as ditaduras do planeta. Na quarta-feira, em solenidade no Itamaraty, explicou por que preferia não se envolver: 
“Um presidente da República não pode ficar na internet atendendo todo o pedido que alguém pede de outro país. É preciso tomar muito cuidado porque as pessoas têm leis, as pessoas têm regras. Se começarem a desobedecer as leis deles para atender o pedido de presidentes, daqui a pouco vira uma avacalhação”.
Seria até ocioso, mas vale lembrar, uma vez mais, a título de registro histórico que este mesmo presidente foi a voz mais estridente contra os governos constitucionais de Honduras — tanto o provisório, que substituiu o golpista Manuel Zelaya, como o eleito (que o Brasil ainda não reconhece) —, ignorando, então, o fato de que aquele país “tem leis”. É claro que são situações incomparáveis: Zelaya foi deposto para que a democracia sobrevivesse em Honduras; a condenação de Sakineh é evidência de uma tirania. Lula é legalista nos regimes de força e porcamente legitimista nas democracias; naquelas, defende o império da lei que perpetua o mal; nestas, alinha-se com os transgressores, que as depredam em busca do mal.

E Dilma, a “mulher”? 
A candidata petista Dilma Rousseff, a exemplo de seu chefe, é uma contumaz defensora do regime iraniano e de seu líder máximo, Ahmadinejad. Suas entrevistas estão espalhadas por aí. Dada a repercussão mundial do caso e considerando que Lula é um dos poucos “amigos” do facinoroso, resolveu se pronunciar a respeito. Segundo a candidata, a condenação “fere a nós, que temos sensibilidade, humanidade”.
É a expressão do pensamento afásico da criatura eleitoral de Lula. Uma ova, minha senhora! A condenação de Sakineh não é algo que ofende almas sensíveis. Trata-se de uma brutalidade que fere o que tem de ser considerado um padrão universal, sim, de civilização, que não pode ser seqüestrado pela canalha relativista — canalha esta tão mais propensa a reconhecer os “valores particulares” de cada país quanto mais esses valores se chocam com o Ocidente que adoram detestar. E só podem detestá-lo, diga-se, porque as prerrogativas democráticas que ele oferece lhes faculta a expressão de seu odioso pensamento. Eis aqui, leitores, um grande paradoxo: as democracias permitem até a manifestação do mal; as tiranias costumam proibir a expressão do bem. Lula e Dilma são amigos dos tiranos.

Lula, visto inicialmente como o príncipe augural, recebeu o beijo da prepotência e voltou a ser o sapo retrô, que vai deixando, mundo afora, um rastro asqueroso de justificação do mal. Ao contrário do que reza a propaganda oficial e até de certo senso comum, Lula manchou a reputação do Brasil num valor cada vez mais caro na relação entre os países: os direitos humanos. Confessando-se um adúltero — e supondo que todos o são —, este senhor ofereceu-se para receber uma “adúltera”, não uma vítima de um regime asqueroso. E assim procede porque, afinal de contas, suas relações com o tirano são de “amizade” e “carinho”.
É o mais baixo a que ele chegou até agora. Mas eu jamais corro o risco de subestimá-lo. Seu mandato não acabou. E, nesse particular, Lula pode mais. 

Por Reinaldo Azevedo  

domingo, 1 de agosto de 2010

Mentira da Globo



Prezados amigos:

Achei muito estranha a notícia sobre a votação de Lula na lista dos mais influentes do mundo, publicada pelo Globo, e fui conferir a lista original da revista Time.

Agora temos a verdade. Na lista da TIME, que estamos divulgando aqui, Lula ficou em 43º lugar. Mas não é só isso. A quantidade de votos dele foi de 12.371 contra, por exemplo 7.740.557 de Obama, 6.697.752 de Lady Gaga, 2.907.504 de Oprah Winfrey, etc...

No entanto, parte da imprensa brasileira que se mantém com verbas do Governo federal, soltou a boataria de Lula é o homem mais influente do planeta, quando em verdade ele é o mais influente apenas para os 12.371 petistas que conseguem ler a revista.

Vejam abaixo a lista original da revista TIME, edição atual, com a votação completa. Como pode ser visto, lá aparece até o Presidente do Iraque – Mousavi – com uma votação 6 (seis) vezes superior a votação de Lula, isto sem contar Bill Clinton, Elton Jones, Manmohan Singh (premier indiano) etc.

Cordiais saudações
Ruy Câmara

Você pode conferir, aqui: http://www.time.com/time/specials/packages/article
/0,28804,1984685_1984713_1984669,00.html

1-Barack Obama - 7,740,557;2- Lady Gaga - 6,697,752; 3-Ashton Kutcher - 6,390,600; 4- Taylor Swift - 5,608,398; 5- Oprah Winfrey - 2,907,504
Robert Pattinson - 2,298,274; 6- Ben Stiller - 1,735,285; 7- Serena Williams - 1,681,207; 8- Conan O'Brien - 1,352,195; 9 -Jet Li - 1,220,613; 10 - Damon Lindelof - 977,222; 11- Carlton Cuse - 969,097;
12 - Sarah Palin - 884,145; 13 -Glenn Beck - 621,436; 14 - Neil Patrick Harris - 493,561; 15 - Sandra Bullock - 329,229 - Marc Jacobs - 275,689 - Banksy - 259,153 - Sachin Tendulkar - 175,852 - Simon Cowell - 171,726 - Bill Clinton - 160,731 - Lea Michele - 151,916 - Scott Brown - 131,053 - Didier Drogba - 97,611 - Chetan Bhagat - 94,074 - Mir-Hossein Mousavi - 77,455 - James Cameron - 50,394 - Kim Yu-Na - 49,493 - Mike Krahulik - 41,305 - Zaha Hadid - 33,242 - Lee Kuan Yew - 27,859 - Ricky Gervais - 27,422 - Mike Mullen - 22,849 - Zahra Rahnavard - 21,747 - Elton John - 19,309 - Nancy Pelosi - 19,123 - Manmohan Singh - 17,977 - Phil Mickelson - 14,922 - Michael Pollan - 14,956 - Sonia Sotomayor - 13,399 - Jenny Beth Martin - 13,266 - Annise Parker - 13,093 - Luiz Inácio Lula da Silva - 12,371 - Steve Jobs - 10,662 - Temple Grandin - 8,898 - Tim Westergren - 8,152 - Christine Lagarde - 7,913 - Sheik Khalifa bin Zayed al Nahyan - 6,598 - Suzanne Collins
- 5,960 - Recep Tayyip Erdogan - 5,925 - Elizabeth Warren - 5,875 - Kathryn Bigelow - 5,326 - Lisa Jackson - 4,746 Stanley McChrystal - 2,886 - Jon Kyl - 2,696 - Amartya Sen - 2,621 - Yukio Hatoyama - 2,228 - Malalai Joya - 1,874 - Tidjane Thiam - 1,675 - Jerry Holkins - 1,483 - Valery Gergiev - 1,307 - Graca Machel - 1,234 Atul Gawande - 1,190 - Neill Blomkamp - 1,113 - Deborah Gist - 1,022 - Jaime Lerner – 905 - Elon Musk – 780 - Salam Fayyad – 574 - Paul Volcker – 465 Dominique Strauss-Kahn – 431 - Kathleen Merrigan – 356 - Tristan Lecomte – 249 - Matt Berg – 198 - David Boies – 151-Nay Phone Latt – 122 - Victor Pinchuk – 114 - Theodore Olson – 40 -Liya Kebede – 12 - Kiran Mazumdar-Shaw – 3 - Amy Smith – 0 - Bo Xilai – 0 - Chen Shu-chu – 0 - David Chang – 0 Douglas Schwartzentruber – 0 - P. Namperumalsamy – 0 - Valentin Abe – 0 - Edna Foa – 0 - Han Han – 0 - J.T. Wang – 0 - Jaron Lanier – 0 - Karls
Paul-Noel – 0 - Larry Kwak – 0 - Mark Carney – 0 - Michael Sherraden – 0 - Prince – 0 - Rahul Singh – 0 - Reem Al Numery – 0 - Robin Li – 0 - Ron Bloom – 0 Sanjit "Bunker" Roy – 0 - Tony Travis – 0 - Sister Carol Keehan – 0 - Tim White – 0 - Will Allen – 0

NO BRASIL A MENTIRA É OFICIALIZADA. ATÉ FAZER PARTE DA LISTA JÁ É ALGUMA COISA. AGORA, QUERER SER O REI DA COCADA PRETA É QUE NÃO É POSSÍVEL.
A MENTIRA TEM PERNA CURTA E DESMORALIZA. SÓ NO BRASIL É QUE A MENTIRA É ACEITA COMO VERDADE. NOS PAÍSES CIVILIZADOS O CIDADÃO QUE MENTIR VAI PARA A CADEIA. AQUI CONTINUA PRESIDENTE E PODE SER ATÉ CANDIDATO À PRESIDENTE.
A CANDIDATA DO PRESIDENTE JÁ MENTIU ALGUMAS VEZES. NÃO FICA BEM PARA UMA AUTORIDADE QUE PRECISA DAR O EXEMPLO.